O PAPEL DA ESCOLA NA TRAJETÓRIA DE ADOLESCENTES AUTORES DE ATOS INFRACIONAIS: CONCEPÇÕES DE PROFESSORES

Autores

  • Marcos Vinicius Francisco
  • Camélia Santina Murgo

DOI:

https://doi.org/10.14572/nuances.v26i1.3821

Palavras-chave:

Adolescentes, Autores de Atos Infracionais, Teoria Histórico-Cultural

Resumo

Esta investigação foi realizada em uma escola estadual de Ensino Fundamental e Médio de uma cidade do interior do Estado de São Paulo. A instituição recebe adolescentes egressos de diferentes unidades da Fundação Casa. Foi estabelecido como objetivo central, analisar as concepções de professores sobre a escola na trajetória de adolescentes autores de atos infracionais que permaneceram em regime fechado, a fim de cumprirem medidas socioeducativas de internação. Como recurso metodológico, procedeu-se o desenvolvimento de grupos focais com seis professores e uma coordenadora pedagógica da instituição. Assumiu-se como referencial a Teoria Histórico-Cultural, que tem como base epistemológica o Materialismo Histórico Dialético. Os resultados indicam que, em sua formação inicial, os professores e a coordenadora não foram contemplados com discussões que problematizassem a questão dos adolescentes autores de atos infracionais, bem como os motivos que produzem tais situações na sociedade. Todavia, evidencia-se um posicionamento uníssono por parte dos professores ao desenvolverem uma postura de acolhida com todos os alunos, a fim de não rotulá-los e/ou compará-los.

http://dx.doi.org/10.14572/nuances.v26i1.3821

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

22-09-2015

Como Citar

FRANCISCO, M. V.; MURGO, C. S. O PAPEL DA ESCOLA NA TRAJETÓRIA DE ADOLESCENTES AUTORES DE ATOS INFRACIONAIS: CONCEPÇÕES DE PROFESSORES. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 26, n. 1, p. 98–120, 2015. DOI: 10.14572/nuances.v26i1.3821. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/3821. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê