Educação Infantil para a América Latina sob a ótica do "desenvolver a primeira infância" do Banco Mundial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32930/nuances.v34i00.10251

Palavras-chave:

Políticas Educacionais, Banco Mundial, DPI, Educação Infantil, América Latina

Resumo

Este estudo busca analisar de forma crítica a Educação Infantil na América Latina sob a ótica do "Desenvolver A Primeira Infância" (DPI) do Banco Mundial. Mediante uma abordagem qualitativa, realizou-se uma pesquisa bibliográfica e documental, com base prioritária de dados dos documentos do Banco Mundial – e de seus experts – nos últimos anos. O estudo revela de que maneira o Banco tem como agenda o DPI a partir de programas sociais e educacionais para o desenvolvimento econômico e a (re)produção de capital humano futuro, fortalecida pelo discurso da neurociência. Para isso, os documentos manifestam o como desenvolver esses programas legitimados de boas práticas de educação, nutrição e saúde, descentralizadas e em multinível, ou seja, em práticas intersetoriais com alianças com o setor privado. Por fim, ao contrário da perspectiva do Banco, defende-se que é fundamental Desenvolver a Primeira Infância pautada em uma perspectiva crítica, emancipatória e decolonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Maria Bortot, Universidade Estadual de Maringá

Professora do Departamento de Fundamentos da Educação da Universidade Estadual de Maringá. Pós-Doutoranda em Educação pela Universidade Federal do Paraná.

Elisângela Alves da Silva Scaff, Universidade Federal do Paraná

Professora associada do Departamento de Planejamento e Administração Escolar da Universidade Federal do Paraná (DEPLAE/UFPR).

Kellcia Rezende Souza, Universidade Federal da Grande Dourados

Professora Adjunta da Faculdade da Educação Pós-Doutoranda em Educação pela UFPR.

Referências

ACKERMAN, D; BARNETT, S. Prepared for Kindergarten: What Does “Readiness” Mean? NIEER Policy Report, 2005.

ARAÚJO, A. Aprendizagem infantil: uma abordagem da neurociência, economia e psicologia cognitiva. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Ciências, 2011.

ATINC, T. M. Prefácio. In: NAUDEAU, S. et al. Como investir na Primeira Infância: um guia para a discussão de políticas e a preparação de Projetos de Desenvolvimento da Primeira Infância. Washington, DC: The World Bank, São Paulo: Singular, 2011.

BALL, S. Educação global S. A.: novas redes políticas e o imaginário neoliberal. Tradução: Janete Bridon. Ponta Grossa, PR: UEPG, 2014.

BANCO MUNDIAL. Prioridades y estrategias para la educación: estudio sectorial del Banco Mundial. Washington, DC: Banco Mundial, 1995.

BANCO MUNDIAL. Estrategia sectorial de educación. Washington, DC: Grupo del Banco Mundial, 2000.

BANCO MUNDIAL. Education sector strategy update. Achieving education for all, broadening our perspective, maximizing our effectiveness. Washington, DC: Banco Mundial, 2006.

BANCO MUNDIAL. Early child development, from measurement to action: a priority for Growth and Equity. Washington, DC: Banco Mundial, 2007.

BERLINSKI, S.; SCHADY, N. Os primeiros anos: o bem-estar infantil e o papel das políticas públicas. Washington, DC: BID, 2016.

BORTOT, C. M. Transferência de Políticas Educacionais para a Infância na América Latina e Caribe: práticas intersetoriais de Governança Global nos casos cubano e brasileiro. 2022. 450 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2022.

BORTOT, C. M.; LARA, A. M. B. Las políticas de Educación y cuidados en la primera infancia para América Larina: intencionalidades y encaminamientos en la propuesta d la UNESCO. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. esp. 3, p. 1767-1781, out. 2019.

BORTOT, C. M.; SCAFF, E. A. S. O direito à qualidade da/na educação infantil: entre a maximização do direito e as intencionalidades do privado. Eccos – Rev. Cient., São Paulo, n. 52, p. 1-18, jan./mar. 2020. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/13269/8277. Acesso em: 16 jun. 2022.

BOSWELL, C. Knowledge, legitimation and the politics of risk: the functions of research in public debates on migration. Political Studies, v. 57, p. 165-186, 2009.

BRAVO, R. S. Técnicas de investigação social: teoria e ejercicios. 7. ed. Madrid: Paraninfo, 1991.

BRITO NETO, A.; SHIROMA, E. O. O professor na mira das reformas: orientações do “Projeto Estratégico Regional sobre Docentes para América Latina e Caribe”. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL MARX E O MARXISMO: INSURREIÇÕES, PASSADO E PRESENTE, 2015, Niterói, RJ. Anais [...]. Niterói, RJ: NIEP-Marx, 2015.

CARVALHO, R. S. O investimento na formação do cidadão do futuro: a aliança entre economia e educação infantil como estratégia da governamentalidade contemporânea. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 32, n. 2, p. 229-253, abr./jun. 2016.

DENBOBA, A. D. et al. Intensificando o desenvolvimento da Primeira Infância: investindo na Primeira Infância com grandes retornos. Washington, DC: Banco Mundial; São Paulo: Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, 2014a.

DENBOBA, A. D. et al. Investing in young children: key interventions and principles to ensure all young children reach their full potential. Washington, DC: Banco Mundial, 2014b.

DENBOBA, A. D. et al. Investing in young children: the SABER Systems approach. Washington, DC: Banco Mundial, 2014c.

EVANS, D. K.; KOSEC, K. Educação Infantil: programas para a geração mais importante do Brasil. Washington, DC: Banco Mundial, São Paulo: Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, 2011.

FMCSV. Empreendedorismo e negócios de impacto social para a Primeira Infância. São Paulo: Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, 2016.

GAAG, J. V. D.; TAN, J-P. The benefits of early child development programs an economic analysis. Washington, DC: Banco Mundial, 1998.

HECKMAN, J. J. Policies to foster human capital. Research in Economics, v. 54, n. 1, p. 3-56, 2000.

HECKMAN, J. J. et al. The Impact of the Perry Preschool Program on Noncognitive Skills of Participants. Chicago: University of Chicago, Department of Economics, 2008.

HECKMAN, J. J.; PINTO, R.; SAVELYEV, P. Understanding the mechanisms through which an influential early childhood program boosted adult outcomes. American Economic Review, v. 103, n. 6, p. 2052-2086, 2013.

LENDVAI, N.; STUBBS, P. Policies as Translation: situating trans-national social policies. In: Policy reconsidered: meanings, politics and practices edited by Susan M. Hodgson and Zoë Irving. Bristol: Policy Press, 2007, p. 173-189.

MARQUEZ, C. G. As políticas multissetoriais e integradas do Banco Mundial no Brasil: a infância como capital humano do futuro. 2016. 300 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.

McPHERSON A.; RAAB, C. Governing Education: A sociology of policy since 1945. Edinburgh: Edinburgh University Press, 1988.

MYERS, R. G. Early childlhood development programs in Latin America: toward definition of an investment strategy. Washington, DC: The World Bank, 1992.

NAUDEAU, S. et al. Como investir na Primeira Infância: um guia para a discussão de políticas e a preparação de Projetos de desenvolvimento da Primeira Infância. Washington, DC: The World Bank, 2010, São Paulo: Singular, 2011.

PENN, H. A Primeira Infância: a visão do Banco Mundial. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 115, p. 7-24, 2002.

PEREIRA, J. M. M. O Banco Mundial como ator político, intelectual e financeiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

SAYE, R. K.; WODON, Q. T. Investing in young children: a review of the World Bank’s recent experience. Washington, DC: Banco Mundial, 2014.

SHIROMA, E. O. Networks in action: new actors and practices in education policy in Brazil. Journal of Education Policy, v. 29, n. 3, p. 323-348, 2014.

SHIROMA, E. Redes, experts e a internacionalização de políticas educacionais. Revista de Estudios Teóricos y Epistemológicos en Política Educativa, Ponta Grossa, PR, v. 5, p. 1-22, 2020.

UNICEF. Un mundo listo para aprender: dar prioridad a la educación de calidad en la primera infancia. Documento informativo de promoción. Nueva York: UNICEF, 2019.

VEGAS, E.; SANTIBÁÑEZ, L. The promise of early childhood development in Latin America and the Caribbean issues and policy options: book synopsis. Washington, DC: The World Bank, 2010.

VIANA, I. A. Investimento produtivo em educação no Brasil: educação Infantil para crianças pobres. 2012. 123 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais) – Escola Nacional de Ciências Estatísticas, Rio de Janeiro, 2012.

WOOD, E. M. Democracia contra o capitalismo: a renovação do materialismo histórico. São Paulo: Boitempo, 2010.

WORLD BANK. Educacion: document de politica setorial. Washington, DC: Banco Mundial, 1974.

WORLD BANK. Education: sector policy paper. Washington, DC: Banco Mundial, 1980.

YOUNG, M. E. Early child development: investing in the future. Washington, DC: The World Bank, 1996.

Publicado

30-12-2023

Como Citar

BORTOT, C. M.; SCAFF, E. A. da S.; SOUZA, K. R. Educação Infantil para a América Latina sob a ótica do "desenvolver a primeira infância" do Banco Mundial. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 34, n. 00, p. e023011, 2023. DOI: 10.32930/nuances.v34i00.10251. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/10251. Acesso em: 22 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Publicação Contínua