TELEVISÃO PARA CRIANÇAS: UMA QUESTÃO DE ÉTICA, REGULAMENTAÇÃO E EDUCAÇÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14572/nuances.v28i1.4814

Palavras-chave:

crianças, televisão pública, regulamentação, ética, mídia-educação

Resumo

Este artigo tem como proposta discutir questões de ética, regulamentação da televisão para crianças e mídia-educação. Parte-se do pressuposto de que o direito à liberdade de expressão e regulamentação não são incompatíveis, mas complementares – e fundamentais para o exercício democrático. O texto apresenta exemplos de regulação pública, auto-regulação e co-regulação de televisão para crianças em contexto principalmente europeu, com destaque para o modelo sueco. Iniciativas para garantir conteúdos considerados de qualidade, assim como ações para evitar que conteúdos potencialmente nocivos possam ser exibidos nas grades de programação pública são apresentados, assim como a importância do enfoque paralelo e contínuo em ações mídia-educativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ilana Eleá, University of Gothenburg, Sweden

Pedagoga, doutora em Educação pela PUC-Rio, Coordenadora científica da The International Clearinghouse on Children, Youth and Media, Nordicom, University of Gothenburg, Suécia.

Downloads

Publicado

14-04-2017

Como Citar

ELEÁ, I. TELEVISÃO PARA CRIANÇAS: UMA QUESTÃO DE ÉTICA, REGULAMENTAÇÃO E EDUCAÇÃO. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 28, n. 1, p. 8–24, 2017. DOI: 10.14572/nuances.v28i1.4814. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/4814. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê