O ESPAÇO ONDE SE BRINCA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Autores

  • Suzana Marcolino Unesp-Marilia
  • Suelly Amaral Mello

DOI:

https://doi.org/10.14572/nuances.v26i2.3349

Palavras-chave:

Desenvolvimento Infantil, Brincadeira, Educação Infantil, Psicologia Histórico-Cultural

Resumo

O objetivo do artigo é verificar como um tipo de arranjo espacial na Educação Infantil, os cenários para brincar, impacta a brincadeira. A análise foi conduzida com base nos estudos da Psicologia Histórico-Cultural sobre a brincadeira. Para essa teoria a brincadeira é atividade guia do desenvolvimento da criança pré-escolar e, quanto mais a criança conhece sobre o mundo e as relações entre as pessoas, mais rica será a situação imaginária criada na brincadeira. Foram realizadas 12 sessões de brincadeira com crianças de cinco anos de uma escola pública de Educação Infantil, nas quais construímos, junto com elas, variados cenários para brincar. Os resultados indicam que os cenários se constituíram como apoio para a situação imaginária, permitindo o desenvolvimento de argumento, ampliando as ações e relações dos papéis interpretados na brincadeira.

http://dx.doi.org/10.14572/nuances.v26i2.3349

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Suzana Marcolino, Unesp-Marilia

Suzana Marcolino, Psicóloga, doutora em educação pelo PPGE/Unesp, Marília, membro do grupo de estudos “Implicações Pedagógicas da Psicologia Histórico-Cultural”. Bolsista de Pós-Doutorado Junior CNPq. Estuda a brincadeira no contexto pedagógico da Educação Infantil.

 

Suely Amaral Mello é professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Unesp/Marília.

Downloads

Publicado

06-01-2016

Como Citar

MARCOLINO, S.; MELLO, S. A. O ESPAÇO ONDE SE BRINCA NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 26, n. 2, p. 149–168, 2016. DOI: 10.14572/nuances.v26i2.3349. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/3349. Acesso em: 24 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos - FLUXO CONTÍNUO