POR QUE OS ALUNOS DE ENGENHARIA DESISTEM DE SEUS CURSOS – UM ESTUDO DE CASO

Autores

  • Maria Marilei Soistak Christo Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Luis Maurício Martins de Resende Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Talícia do Carmo Galan Kuhn Universidade Tecnológica Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.32930/nuances.v29i1.4391

Palavras-chave:

Engenharia. Desistência. Ensino Superior. Ensino Engenharia. Educação Engenharia.

Resumo

Historicamente, bacharelados em engenharia apresentam uma evasão bastante acentuada, caracterizando-se como um grande problema na formação de engenheiros. Este artigo busca compreender os principais motivos de evasão de alunos em cursos de engenharia. Para tanto foi feito um estudo com os alunos desistentes dos Cursos de Engenharias oferecidos pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Câmpus Ponta Grossa. A pesquisa é descritiva e documental. A análise foi realizada a partir do levantamento dos motivos de desistência, distribuindo-os em grupos: pessoais, familiares, socioeconômicos e acadêmicos. Conclui-se que, entre a média dos motivos acadêmicos mais citados pelos alunos que desistem, 29,5% optam por outro curso em nova Universidade, 26,6% por outro curso utilizando o SISU ou PROUNI e 15,2% indicam uma “não adaptação ao curso”. A maioria relata que desiste por ingressar inicialmente em um curso que não era sua primeira opção ou que não se identificou com o mesmo. Entre os alunos pesquisados, 86% desistiram no 1º ou 2º período. Como mecanismos de minimizar esse fenômeno, sugere-se inserção de práticas, visitas técnicas, aulas em laboratórios no primeiro período, preparo vocacional no Ensino Médio, atualização de sistema de inscrição do SISU.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Marilei Soistak Christo, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Mestre em Ensino de Ciência e Tecnologia e Doutoranda em Ensino de Ciência e Tecnologia. Pedagoga da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Participa do Grupo de Pesquisa em Ensino de Engenharia. 

Luis Maurício Martins de Resende, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutor em Engenharia de Materiais. Atua como docente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Tecnologia. Participa do Grupo de Pesquisa em Ensino de Engenharia

Talícia do Carmo Galan Kuhn, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Mestre em Ensino de Ciência e Tecnologia. Tradutora Intérprete de Libras na UTFPR- Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Participa do grupo de pesquisa: Educação Inclusiva: contextos de formação e práticas pedagógicas para o Ensino de Ciência e Tecnologia  e do Grupo de Pesquisa e Estudos Interdisciplinares Tecnologia e Sociedade. 

Downloads

Publicado

20-12-2018

Como Citar

CHRISTO, M. M. S.; RESENDE, L. M. M. de; KUHN, T. do C. G. POR QUE OS ALUNOS DE ENGENHARIA DESISTEM DE SEUS CURSOS – UM ESTUDO DE CASO. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 29, n. 1, 2018. DOI: 10.32930/nuances.v29i1.4391. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/4391. Acesso em: 2 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos - FLUXO CONTÍNUO