O PROFESSOR EM FORMAÇÃO CONTINUADA: DIDÁTICA DA LEITURA

Silvana Paulina de Souza

Resumo


Pretendo provocar, neste texto, uma reflexão sobre a prática leitora dos professores e como pode interferir nas ações pedagógicas no ensino do ato de ler. Esta reflexão objetiva pensar como as ações de formação continuada permitem analisar o comportamento leitor dos professores e contribuir para a mudança de postura destes para o ensino da leitura. Mesmo vivendo num momento em que as ações de formação continuada, promovida pelos diferentes instituições e políticas públicas, apresentam a leitura como a busca da compreensão e de sentido do texto, percebemos um número significativo de professores que mantem o conceito leitura baseado na apropriação dos signos linguísticos. A questão é a de como um professor que não gosta de ler, não tem o hábito e não compreende o conceito de leitura para além do código, pode ensinar a leitura? Os dados para esta reflexão surgiram das inquietações que ocorreram durante minha prática em ações de formação continuada de professores. Por meio da observação do comportamento e da fala dos participantes das formações, percebi um discurso formal da compreensão de leitura como atribuição de sentido, porém as práticas relatadas, formal e informalmente, eram de um ensino centrado no código. As observações levou-me a perceber que ainda persiste uma didática da leitura baseada no senso comum pedagógico, clichês e ou paradigmas baseados em práticas sedimentadas pela sua própria história de apropriação da leitura.


Palavras-chave


Formação de Professores. Leitura. Ensino e Aprendizagem.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v28i2.5091


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com