Efeitos das avaliações em larga escala na organização do currículo escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32930/nuances.v30i1.6784

Palavras-chave:

Políticas Educacionais, Avaliação da aprendizagem, Currículo, Profissionais da Educação.

Resumo

Este artigo tem por objetivo evidenciar alguns dos efeitos das avaliações em larga escala na organização curricular de duas escolas de uma rede pública municipal do Estado de Minas Gerais. Sabendo que no Brasil atualmente a qualidade da educação é muitas vezes associada às avaliações externas e ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), nota-se que em busca de resultados positivos, algumas instituições adequam seus currículos ao que é priorizado nos exames externos, o que faz com que as singularidades de cada região, escola e alunos sejam desconsideradas na prática pedagógica. Tendo isso em vista, optamos por investigar a realidade de escolas que possuem Idebs distantes entre si, de modo a verificar como estas avaliações interferem no dia-a-dia destas instituições. Por meio de uma abordagem qualitativa, pautada em um estudo de natureza teórico-empírico que se respaldou em revisões bibliográficas, análise documental e entrevistas semiestruturadas com inspetores, supervisores e docentes, analisamos as influências das avaliações em larga escala sobre o trabalho destes profissionais. A investigação revelou que a valorização dada as avaliações externas se relaciona, dentre outros, ao contexto no qual as instituições se inserem e que a atual estrutura e forma de tratamento dos dados advindos destes exames têm refletido de forma negativa no trabalho docente, provocando em algumas instituições escolares estreitamento curricular, treinamentos, engessamento pedagógico e práticas acríticas, o que indica a necessidade de reflexão sobre as finalidades às quais as avaliações em larga escala têm servido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lívia Andrade Ferreira, Universidade Federal de Uberlândia - UFU

Mestre em educação pela Universidade Federal de Uberlândia (2018) e professora da educação infantil ao 5º ano na Rede Municipal de Ensino da cidade de Uberlândia/MG. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Uberlândia (2010) e especialização em Docência na Diversidade para a Educação Básica realizada na mesma instituição.

Maria Simone Ferraz Pereira, Universidade Federal de Uberlândia - UFU

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2012). Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Uberlândia (1996) e mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2006). Professora de Prática de Ensino e Estágio na Faculdade de Educação/Faced da Universidade Federal de Uberlândia. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia (Faced/UFU), vinculada à Linha de Pesquisa Estado, Políticas e Gestão em Educação. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Avaliação Educacional (aprendizagem, institucional e sistêmica), Prática de Ensino e Estágio Supervisionado, Organização do Trabalho Pedagógico da Escola. Desenvolve estudos e pesquisa no campo das políticas educacionais com ênfase em avaliação, organização do trabalho pedagógico da escola, qualidade da educação, políticas e práticas pedagógicas.

Downloads

Publicado

31-12-2019

Como Citar

ANDRADE FERREIRA, L.; FERRAZ PEREIRA, M. S. Efeitos das avaliações em larga escala na organização do currículo escolar. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 30, n. 1, 2019. DOI: 10.32930/nuances.v30i1.6784. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/6784. Acesso em: 27 nov. 2022.

Edição

Seção

Práticas Pedagógicas