Os impactos da expansão do agronegócio canavieiro para as relações campo-cidade no Pontal do Paranapanema (SP)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35416/geoatos.v3i18.7219

Resumo

Neste início do século XXI, tem se ampliado as discussões em respeito às relações campo-cidade, tendo em vista uma série de transformações porque tem passado o campo brasileiro nas últimas décadas, com destaque para o discurso em respeito à vocação agroexportadora que permeia as perspectivas de desenvolvimento no país. No entanto, é de nosso interesse analisar os reais impactos que esta opção tem gerado para o campo brasileiro, e as novas relações campo-cidade que tem se produzido a partir do desenvolvimento deste modelo. Com esse intuito, chamamos atenção para a realidade vivenciada no Pontal do Paranapanema (SP), recorte territorial deste trabalho e que nestas primeiras décadas do século supracitado, tem sido marcado pela presença deste modelo de desenvolvimento, dado o avanço do agronegócio canavieiro, e que nos estimula a analisarmos os reais impactos para as relações campo-cidade que se desenham no mesmo. Nesse sentido, a necessidade da compreensão deste fenômeno diz respeito a não podermos enxergar o Pontal do Paranapanema (SP) desvinculado das mudanças recentes que tem permeado o campo brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fredi dos Santos Bento, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciência e Tecnologia (FCT), Presidente Prudente,São Paulo

Licenciado, Bacharel e Mestre em Geografia pela FCT(Faculdade de Ciências e Tecnologia de Presidente Prudente-SP) da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho(UNESP), tendo desenvolvido o projeto de mestrado:Migração do trabalho no agrohidronegócio canavieiro na Região Administrativa de Presidente Prudente (SP), financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), e anteriormente pelo Conselho Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).Atualmente é Doutorando em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia pela mesma instituição.

Referências

ABRAMOVAY, Ricardo. Funções e medidas da ruralidade no desenvolvimento contemporâneo. Texto para discussão. Rio de Janeiro: IPEA, nº 702, 2000. Disponível em <http://www.ipea.gov.br/texto>.

ALVES, Flamarion Dutra. A relação campo-cidade na Geografia brasileira: apontamentos teóricos a partir de periódicos científicos. Revista Geografia Ensino & Pesquisa, vol.16, nº 3, p. 07-18, set-dez de 2012.

ANTONELLO, Ideni Terezinha. Reestruturação produtiva no espaço rural: forjando mutações nas relações urbano-rurais. Dossiê Relações Campo-Cidade, Temas &Matizes, nº 16, p. 24-51, segundo semestre de 2009.

BENTO, Fredi dos Santos. Migração de trabalhadores para o corte da cana-de-açúcar no Pontal do Paranapanema (SP), no início do século XXI.2015.248f.Monografia (Bacharelado em Geografia)- Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente.

BENTO, Fredi dos Santos. Geografia, migrações e trabalho: Migrações do trabalho para o agrohidronegócio canavieiro no Pontal do Paranapanema (SP) no início do século XXI. 1.ed. Düsseldorf: Novas Edições Acadêmicas, 2017, 288p.ISBN: 978-6202406192.

BENTO, Fredi dos Santos; THOMAZ JUNIOR, Antonio. A dinâmica geográfica do trabalho encimada nas migrações sazonais para os canaviais do Pontal do Paranapanema (SP), no início do século XXI. Revista Pegada – vol. 16, n.1. 2015.

CARNEIRO, Maria José. Ruralidade: novas identidades em construção. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE SOCIOLOGIA E ECONOMIA RURAL, 35, 1998, Natal. Anais... Natal, 1998.

DUBAR, Claude. Trajetórias sociais e formas indentitárias: alguns esclarecimentos conceituais e metodológicos. Educação e Sociedade, Campinas, v.19, n.62, abr. 1998.

ELIAS, Denise. Redes agroindustriais e urbanização dispersa no Brasil. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL DE GEOCRÍTICA-DIEZAÑOS DE CAMBIOS EN EL MUNDO, EN LA GEOGRAFIA Y EN LAS CIENCIAS SOCIALES, 10,2008, Barcelona. Anais... Barcelona, 2008.

FAVARETO, Arilson da Silva. A longa evolução da relação rural-urbano. Revista Ruris, vol. 1, nº 1, p.157-188, março de 2007.

FRANCA, Terezinha J.F. et.al. Turismo e lazer em áreas periurbanas: de proteção de mananciais: território, paisagem e multifuncionalidade. Informações Econômicas, vol.39, nº07, p.32-48, jul. de 2009.

GAUDEMAR, Jean-Paul de. Mobilidade do trabalho e acumulação do capital. Lisboa: Editorial Estampa, 1977.

GOMÉZ, Sérgio Emílio. Nueva ruralidad? Un aporte al debate. In: SEMANAS SOCIALES DE LA DIOCÉSIS DE TALCA (CHILE), Santiago do Chile, 2001. Anais... Santiago do Chile, 2001.

HESPANHOL, Antonio Nivaldo. Modernização da agricultura e desenvolvimento territorial. ENCONTRO NACIONAL DE GRUPOS DE PESQUISA-ENGRUP, 4,2008, São Paulo. Anais... São Paulo, p.370-392, 2008.

HESPANHOL, Antonio Nivaldo; HESPANHOL, Rosangela Aparecida de Medeiros. Dinâmica do espaço rural e novas perspectivas de análise das relações campo-cidade no Brasil. Revista Terra Livre, Presidente Prudente, ano 22, vol. 2, nº 27, p.133-148, jul-dez. de 2006.

HESPANHOL, Antonio Nivaldo. Os efeitos da elevação dos preços das commodities agrícolas sobre a segurança alimentar. Revista Faz Ciência, vol. 12, nº 15, p.73-94, jan-jun. de 2010.

HESPANHOL, Rosangela Aparecida de Medeiros. Campo e cidade, rural e urbano no Brasil contemporâneo. Revista Mercator, vol.12, número especial 2, p.103-112, set. de 2013.

IAMAMOTO, Marilda. Trabalho e indivíduo social. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2001, 294p.

LEITE, José Ferrari. A ocupação do Pontal do Paranapanema. 1. ed. São Paulo: Hucitec: Fundação UNESP, 1998, 202p.

LELIS, Leandro Reginaldo Maximino; HESPANHOL, Rosangela Aparecida de Medeiros. Os impactos gerados pela expansão da cana-de-açúcar no município de Junqueirópolis-SP. Revista Campo Território, vol.10, nº 21, p.251-269, agosto de 2015.

MARTINS, José de Souza. O voo das andorinhas: migrações temporárias no Brasil. In: Não há terra para plantar neste verão (O cerco das terras indígenas e das terras de trabalho no renascimento político do campo). 2.ed. Petrópolis: Vozes, 1988, p.44-61.

MARTINS, José de Souza. A sociedade vista do abismo: novos estudos sobre exclusão, pobreza e classes sociais. 1. ed. Petrópolis: Vozes, 2002, 228p.

MOREIRA, Erika Vanessa Moreira. As múltiplas fontes de renda e a pluriatividade nos bairros Aeroporto, Cedro, Córrego da Onça, Ponte Alta e Gramado no município de Presidente Prudente-SP. 2007.265f. Dissertação (Mestrado em Geografia)-Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente.

OLIVEIRA, Rodolfo Osório de. Desenvolvimento, política agrícola e política rural: do setorial ao territorial. Informações Econômicas, São Paulo, vol.32, nº12, p.07-16, dez. de 2002.

ROBERTI, María Eugenia. El enfoque biográfico en análisis social: una aproximación a los aspectos teórico-metodológicos de los estudios con trayectorias laborales. 2011. 87f. Tese (Doutorado em Sociologia), Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación, Universidad Nacional de La Plata.

RUA, João. A ressignificação do rural e as relações cidade-campo: uma contribuição geográfica. Revista da Anpege, n° 2, p.45-65, 2005.

SÃO PAULO, União da indústria de cana-de-açúcar. Balanço 2015. Disponível em: <http://www.unica.com.br/documentos/publicacoes/sid/18797613/>.Acesso em 04 de julho de 2016.

SCHNEIDER, Sérgio. A pluriatividade no meio rural brasileiro: características e perspectivas para investigação. In: GRAMMONT, Hubert Carton; VALLE, Luciano Martinez (orgs.). La pluriactividad en el campo latino-americano. 1. ed. Quito: Flacso, 2009, p.132-161.

SEGATTI, Sonia. A expansão da agroindústria sucroalcooleira e a questão do desenvolvimento da microrregião de Dracena-SP. 2009.153f.Dissertação (Mestrado em Geografia)- Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente.

SILVA, José Graziano da. O novo rural brasileiro. 1. ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 1999, 151p.

SILVA, Maria Aparecida de Morais. Experiência e memória na bagagem dos caminhantes da terra. Teoria e Pesquisa, nº 49, p.35-64, jul-dez. de 2006.

SILVA, Maria Aparecida de Morais; CONSTANTE, Rodrigo Martins. A degradação social do trabalho e da natureza no contexto da monocultura canavieira paulista. Sociologias, Porto Alegre, ano 12, nº24, p.196-240, mai-ago. de 2010.

SOLARI, Aldo B. O objeto da sociologia rural. In: SZMERECSANYI, Tamás & QUEDA, Oriovaldo. Vida rural e mudança social. 1. ed. São Paulo: Editora Nacional, 1979, p.03-14.

SOROKIN, A. Pitirim; ZIMMERMAN, C. Carlo; GALPIN, J. Charles. Diferenças fundamentais entre o mundo rural e o urbano. In: MARTINS, José de Souza. Introdução Crítica a Sociologia Rural. 1. ed. São Paulo: Hucitec, 1981, p.198-224.

TEIXEIRA, Jodenir Calixto. Modernização da agricultura no Brasil: impactos econômicos, sociais e ambientais. Revista Eletrônica da Associação de Geógrafos Brasileiros-Seção Três Lagoas, vol.2, nº 2, ano 2, p. 21-42, set. de 2005.

VALE, Ana Rute do. A delimitação rural/urbano, as relações cidade-campo e a nova ruralidade: reflexões sobre o espaço rural brasileiro. ENCONTRO DE GEÓGRAFOS DA AMÉRICA LATINA, 10,2005, São Paulo. Anais... São Paulo, 2005.

WANDERLEY, Maria de Nazareth Baudel. A ruralidade no Brasil moderno. Por um pacto social pelo desenvolvimento rural. Em publicacion: Uma nueva ruralidade en América Latina? Norma Giarraca. CLACSO, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina, p.31-44, 2001.

WANDERLEY, Maria de Nazareth Baudel. O mundo rural brasileiro: acesso a bens e serviços e integração campo-cidade. Estudos sociais agrícolas, Rio de Janeiro, vol.17, nº 1, p.60-85, 2009.

Downloads

Publicado

2020-08-10

Como Citar

BENTO, F. dos S. Os impactos da expansão do agronegócio canavieiro para as relações campo-cidade no Pontal do Paranapanema (SP). Geografia em Atos (Online), Presidente Prudente, v. 3, n. 18, p. 181–205, 2020. DOI: 10.35416/geoatos.v3i18.7219. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/geografiaematos/article/view/7219. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos