GÊNERO E VIOLÊNCIA NA ANÁLISE ESPACIAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35416/2024.9506

Palavras-chave:

Geografia, Poder, Violência de Gênero, Espaço, Três Lagoas-MG

Resumo

O descumprimento da mulher de algumas regras impostas pelo machismo provoca a violência no espaço privado da casa, com desdobramentos em espaços públicos com rebatimentos em quase todas as vivências espaicias das mulheres na cidade, com base nisso analisamos a violência de gênero e seus desdobramentos socioespaciais em Três Lagoas-MS por meio da analise da vida cotidiana caracterizada pela violência de uma mulher. Do ponto de vista metodológico nos baseamos em dados estatísticos para uma aproximação do unievrso de pesquisa, mas em um segundo momento utilizamos a metodologia qualitativa, tendo a entrevista com roteiro semiestruurado como instrumento central no processo de geração de informações analisadas neste artigo. A dependência econômica não é o único fator que dificulta ou impossibilita a saída da mulher da casa e da relação opressora: outros fatores, como dependência afetiva e medo de mais violência em razão das ameaças, também influenciam a decisão da mulher.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Helena Milani, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Graduação e Mestrado em Geografia, pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e Doutorado em Geografia, pela Universidade Estadual Paulista, campus de Presidente Prudente.

Professora do Curso de Graduação e Pós Graduação em Geografia, Universidade Federal de Msto Grosso do Sul, Campus de Três Lagoas.

 

Área de pesquisa: Geografia Urbana

Referências

ALMEIDA, Eltoni Gomes de. A violência contra as mulheres e os atendimentos no CREAs, na cidade de Três Lagoas/MS, em 2017. 2019. Monografia. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Três Lagoas.

BANDEIRA, L. M. Violência de gênero: a construção de um campo teórico e de investigação. In: Revista Estado e Sociedade, v.29, n.2, 2014.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

CAMPO GRANDE NEWS. Violência e medo: a equação que já matou 18 mulheres em MS em 2017. Disponível em: https://www.campograndenews.com.br/cidades/violencia-e-medo-a-equacao-que-ja-matou-18-mulheres-em-ms-em-2017 Acesso em 11 maio 2018.

COLOGNESE, S. A.; MÉLO, J. L. B. de. A técnica de entrevista na pesquisa social. IN: Cadernos de Sociologia, Porto Alegre, v. 9, p. 143 – 159, 1998.

FURINI, Luciano Antonio; NASCIMENTO, Kadine. Desigualdade de Gênero e Violência Contra a Mulher: O Caso de Ourinhos (SP). In: Revista Latino Americana de Geografia e Gênero, v. 10, n. 2, 2019. p. 185 205.

HELENE, Diana. Entrevista. In: COSTA, Eduardo (Org.). Perspectivas contemporâneas sobre as cidades brasileiras. São Paulo: Alameda, 2018. p. 79-89.

HOJE MAIS. Dos mil casos de violência doméstica registrados em Três Lagoas somente 10% das mulheres deram sequência ao processo. Disponivel em: https://www.hojemais.com.br/tres-lagoas/noticia/policia/dos-mil-casos-de-violencia-domestica-registrados-em-tres-lagoas-somente-10-das-mulheres-deram-sequencia-ao-processo. Acesso em 13 de dezembro de 2019.

HOJE MAIS. Feminicídio: Três Lagoas no topo da violência contra a mulher. Disponível em: http://www.hojemais.com.br/tres-lagoas/noticia/geral/feminicidio-tres-lagoas-no-topo-da-violencia-contra-a-mulher. Acesso em 11 maio 2018.

LEFEBVRE, Henri. A produção do espaço. Trad. Doralice Barros Pereira e Sérgio Martins (do original: La production de l’espace. 4e éd. Paris: Éditions Anthropos, 2000).

KAPP, Silke, Entrevista na pesquisa sócio-espacial. IN: Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 22, 2020. p. 1-32.

LAN, Diana. Género y territorio: la violencia domestica em espacios e vulnerabilidad y exclusión social – notas a partir de un caso en Argentina. IN: SILVA, Joseli Maria (Org.). Geografias subversivas: discursos sobre espaço, gênero e sexualidades. Ponta Grossa: Todapalavra, 2009. p. 281-299.

LEFEBVRE, Henri. La producción del espacio. Madrid: Capitán Swing, 2013 [1974].

LIMA, Bianca de Oliveira. A geografia e a violência de gênero: um estudo de caso em Três Lagoas – MS. Monografia de conclusão de curso. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul: Três Lagoas, 2020.

LOPES, Marilia Cardoso; SILVA, Susana Maria Veleda da. Da paixão ao crime: uma espacialização da violência contra as mulheres em Rio Grando do Sul-RS. IN: Revista Latino-americana de Geografia e Gênero, v. 4, n. 1, p. 58-74, 2013. ISSN 2177-2886.

OLIVEIRA, E. M. et al. Atendimento às mulheres vítimas de violência sexual: um estudo qualitativo. Revista Saúde Pública, São Paulo, v. 39, n. 3, p. 376-382, jun. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/ pdf/ rsp/ v39n3/ 24790.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2011.

MARRE, Jacques A. L. A construção do objeto científico na investigação empírica. In: Seminário de Pesquisa do Oeste do Paraná, Cascavel -Paraná, outubro de 1991.

MEDEIROS, Leila Maria Vieira; LEANDRO, Edélvio Leonardo; MELO, Mônica Batista de; CORTEZ, Helena Maria Almeida; SANTOS, Eduardo João Ribeiro dos. Revisitando a violência contra a mulher: Abordagens, posturas e proposições de acção em artigos produzidos entre os anos de 1980 e 2007 e indexados em base virtual. In: Psychologica (Coimbra), v. 48, p. 261-291, 2008.

MILANI, Patricia Helena, LIMA, Bianca de Oliveira. A Geografia e a Violência de Gênero: Um Olhar a partir de Três Lagoas – MS. Revista Latino Americana de Geografia e Gênero, v. 11, n. 1, p. 77 ¬ 97, 2020.

MILANI, Patricia Helena. Contribuições da epistemologia feminista para as pesquisas geográficas. Revista Eletrônica da Associação dos Geógrafos Brasileiros, Seção Três Lagoas, v. 1, n. 34, p. 125-150, 24 dez. 2021.

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. Contribuições Feministas para o Estudo da Violência de Gênero. IN: Cadernos Pagu (UNICAMP), Campinas, v. 16, p. 115-136, 2001.

______ Já se mete a colher em briga de marido e mulher. IN: São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 13, n.4, p. 82-91, 1999.

SANTOS, C. M. ; IZUMINO, W.P. Violência contra as mulheres e violência de gênero. Notas sobre Estudos Feministas no Brasil. In: Estudios Interdisciplinarios de America Latina y el Caribe, v. 16, p. 147-164, 2005.

SIMON, Carolina Russo; GUIMARAES, Raul Borges. Mulheres assassinadas no Brasil: o que revela e esconde os mapas? In: XIV Encontro Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Geografia, 2021, Campina Grande. Anais do XIV ENANPEGE, p. 01-20. 2021.

SILVA, Joseli Maria. Gênero e sexualidade na análise do espaço urbano. In: Revista Geosul, v. 22, n. 44, 2007. p. 117-134.

SILVA, Joseli Maria. Geografias feministas, sexualidades e corporeidades: desafios às práticas investigativas da ciência geográfica. IN: ______ (Org.). Geografias subversivas: discursos sobre espaço, gênero e sexualidades. Ponta Grossa: Todapalavra, 2009. p. 93-113.

______; ORNAT, Marcio Jose; CHIMIN JUNIOR, Alides Baptista. O legado de Henri Lefebvre para a constituição de uma geografia corporificada. In: Caderno Prudentino de Geografia. n. 41, 2019, p. 64-77.

SOUZA, D. F.; NERY, I. S. A sexualidade da mulher na relação conjugal violenta. In: Revista Latino-americana de Geografia e Gênero, v. 7, p. 195-211, 2016. ISSN 2177-2886.

BRASIL. Lei 13.104, de 9 de março de 2015. Para prever o feminicídio como circunstância qualificadora do crime de homicídio e o art. 1º da Lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990, para incluir o feminicídio no rol dos crimes hediondos. Disponivel em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13104.htm. Acesso em 15 de dez. 2019.

Downloads

Publicado

2024-07-04

Como Citar

MILANI, P. H. GÊNERO E VIOLÊNCIA NA ANÁLISE ESPACIAL . Geografia em Atos (Online), Presidente Prudente, v. 8, n. 1, 2024. DOI: 10.35416/2024.9506. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/geografiaematos/article/view/9506. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos