OS GIGANTES DOS PÉS DE BARRO DA REFORMA AGRÁRIA NO BRASIL: ANÁLISE CRÍTICA DOS PLANOS NACIONAIS DE REFORMA AGRÁRIA I E II POR MEIO DO DEBATE PARADIGMÁTICO/ The Giants of the clay feet of Agrarian Reform in Brazil: critical analysis in the National Plans of Agrarian Reform I and II through the paradigmatic debate/ Los Gigantes de los pies de barro de la Reforma Agraria en Brasil: análisis y crítica a los Planes Nacionales de Reforma Agraria I y II a través del debate paradigmático

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47946/rnera.v0i50.5743

Palavras-chave:

PNRA, Camponês, Agricultor Familiar, Debate Paradigmático, Reforma Agrária

Resumo

Este artigo tem por objetivo promover uma análise crítica acerca dos Planos Nacionais de Reforma Agrária (PNRA) elaborados entre os anos de 1985 e 2003, de maneira a destacar o arcabouço paradigmático responsável pela consolidação das diferentes perspectivas de desenvolvimento para o campo brasileiro (PNRA I, II PNRA-MDA e II PNRA-PLÍNIO). Para tanto, analisamos as principais concepções acerca dos conceitos de camponês e agricultor familiar, além dos contornos e características definidoras de cada Plano, o que fundamenta a qualificação paradigmática aqui proposta. Por fim, procedemos uma análise comparativa entre os diferentes PNRA’s, de modo a revelar variadas perspectivas, interesses e “visões de mundo” que referenciaram a elaboração de cada um dos Planos aqui analisados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-08-31

Como Citar

Sobreiro Filho, J., Alessandro Cardoso, M., & Valério, V. J. de O. (2019). OS GIGANTES DOS PÉS DE BARRO DA REFORMA AGRÁRIA NO BRASIL: ANÁLISE CRÍTICA DOS PLANOS NACIONAIS DE REFORMA AGRÁRIA I E II POR MEIO DO DEBATE PARADIGMÁTICO/ The Giants of the clay feet of Agrarian Reform in Brazil: critical analysis in the National Plans of Agrarian Reform I and II through the paradigmatic debate/ Los Gigantes de los pies de barro de la Reforma Agraria en Brasil: análisis y crítica a los Planes Nacionales de Reforma Agraria I y II a través del debate paradigmático. REVISTA NERA, (50), 91–115. https://doi.org/10.47946/rnera.v0i50.5743

Edição

Seção

ARTIGOS