A OCUPAÇÃO DO CERRADO GOIANO PELO AGRONEGÓCIO CANAVIEIRO/The Cerrado biome occupation through the sugarcane agribusiness

Autores

  • Adriano Rodrigues de Oliveira Universidade Federal de Goiás, UFG, Goiânia, Goiás, Brasil. http://orcid.org/0000-0001-6477-5364
  • Lara Cristine Gomes Ferreira Doutora em Geografia, geógrafa e vice coordenadora do Laboratório de Estudos e Pesquisas das Dinâmicas Territoriais da Universidade Federal de Goiás (LABOTER/UFG)
  • Brian Garvey Doutor em Geografia, professor do Departamento de Gestão de Recursos Humanos da Universidade de Strathclyde, Escócia.

DOI:

https://doi.org/10.47946/rnera.v0i43.5525

Palavras-chave:

Cerrado Goiano, Agronegócio Canavieiro, Agrohidronegócio.

Resumo

O Cerrado brasileiro tem se constituído no principal eixo de expansão do agronegócio. Desde a década de 1970, a região passou a ser incorporada à fronteira capitalista da agricultura, com a forte intervenção estatal por meio da criação de programas especiais de desenvolvimento como o Programa de Desenvolvimento dos Cerrados (POLOCENTRO em 1975), o Programa de Cooperação Nipo-Brasileira para o Desenvolvimento do Cerrado (PRODECER em 1978) e o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO em 1988). Os governos militares promoveram a modernização conservadora no campo brasileiro, de forma que no Centro-Oeste o objetivo central das políticas foi propiciar a territorialização do capital agrícola, por meio da transformação dos latifúndios em empresas rurais e na instalação de agroindústrias processadoras de grãos, num primeiro momento, e, posteriormente, a viabilização das bases para a consolidação do binômio grãos e carnes. Contudo, a virada do século é marcada pela chegada de um novo ator hegemônico do agronegócio, composto pelo setor canavieiro que vislumbra nas potencialidades naturais e nos incentivos governamentais, possibilidades de expansão da produção de açúcar e etanol. Nesse sentido, a presente análise está centrada na compreensão da ocupação capitalista do Cerrado Goiano pelo agronegócio canavieiro, as principais políticas e programas de fomento à expansão dos empreendimentos, bem como a importância da água para a atividade canavieira por meio da discussão do agrohidronegócio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriano Rodrigues de Oliveira, Universidade Federal de Goiás, UFG, Goiânia, Goiás, Brasil.

Doutor e mestre em Geografia pela FCT/UNESP. Docente dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação em Geografia do Instituto de Estudos Socioambientais (IESA) da Universidade Federal de Goiás (UFG). Vice-líder do Grupo de Estudos e Pesquisas Trabalho, Território e Políticas Públicas (TRAPPU) vinculado ao Laboratório de Estudos e Pesquisas das Dinâmicas Territoriais (LABOTER) da Universidade Federal de Goiás.

Lara Cristine Gomes Ferreira, Doutora em Geografia, geógrafa e vice coordenadora do Laboratório de Estudos e Pesquisas das Dinâmicas Territoriais da Universidade Federal de Goiás (LABOTER/UFG)

Doutora em Geografia, geógrafa e vice coordenadora do Laboratório de Estudos e Pesquisas das Dinâmicas Territoriais da Universidade Federal de Goiás (LABOTER/UFG)

Brian Garvey, Doutor em Geografia, professor do Departamento de Gestão de Recursos Humanos da Universidade de Strathclyde, Escócia.

Doutor em Geografia, professor do Departamento de Gestão de Recursos Humanos da Universidade de Strathclyde, Escócia.

Downloads

Publicado

2018-04-27

Como Citar

Oliveira, A. R. de, Ferreira, L. C. G., & Garvey, B. (2018). A OCUPAÇÃO DO CERRADO GOIANO PELO AGRONEGÓCIO CANAVIEIRO/The Cerrado biome occupation through the sugarcane agribusiness. REVISTA NERA, (43), 79–100. https://doi.org/10.47946/rnera.v0i43.5525

Edição

Seção

ARTIGOS