Práticas investigativas na ciência geográfica: contribuições para o estudo das masculinidades e práticas espaciais de homens gays pretos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35416/geoatos.v1i16.7284

Resumo

O presente texto é resultado das reflexões realizadas no âmbito da disciplina de “Metodologias de Pesquisa Qualitativa para Geografia” e procura realizar uma aproximação com a discussão das masculinidades dos homens gays pretos e suas práticas espaciais de consumo e lazer nas cidades, principalmente aquelas de pequeno e médio porte, que em grande parte não dispõem de espaços majoritariamente frequentados  por esses sujeitos, uma vez que, mesmo nas cidades grandes poucas são as experiências que enfocam esse público. Visto a dimensão qualitativa e social do trabalho é destacado também as contribuições das metodologias qualitativas para a Geografia e suas potencialidades para as práticas investigativas quem tem como objeto científico os sujeitos sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BENTO, M. A. S. Branqueamento e branquitude no Brasil. In: CARONE, I., & BENTO, M. A. S. (Orgs). Psicologia social do racismo: estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil. 5. Ed. - Petrópolis, RJ: Vozes, 2002. p. 25-58.

FANON, F. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

FRANKENBERG, Ruth White women, race masters: The socialconstruction of whiteness. USA: University of Minnesota. 1999.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. – 1.ed. – [Reimpr.]. Rio de Janeiro: LTC, 2013.

HARAWAY, D. Saberes Localizados. A questão da ciência para o feminismo e o privilegio da perspectiva parcial. In: Cadernos Pagu (5), 1995, p. 07-41.

HOOKS, B. We real cool: Black men and masculinity. Psychology Press, 2004.

KILOMBA, G. Descolonizando o conhecimento. Instituto Goethe, 2016. Tradução Jéssica Oliveira. Disponível em http://www.goethe.de/mmo/priv/15259710-STANDARD.pdf. Acesso em: 03 ago. 2019.

KOZINETS, R. V. Netnografia: realizando pesquisa etnográfica online. Porto Alegre: Penso Editora, 2014.

MARRE, J. A. L. A construção do objeto científico na investigação empírica. Cascavel: Seminário de Pesquisa do Oeste do Paraná – UNIOESTE, 1991.

MASSEY, D. O sentido global do lugar. In: ARANTES, A. (Org.) O espaço da diferença. Campinas: Papirus, 2000.

MASSEY, D. Pelo espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008. 312 p.

MEJIA, R. E. Etnografia, cartografia e devir: potencialidades da escritura nas

pesquisas antropológicas contemporâneas. In: MANICA, D.; KOFES, S. 2015. Vida e grafias: narrativas antropológicas, entre biografia e etnografia. Lamparina. p. 90 – 110.

MERCADO, L. P. Pesquisa qualitativa online utilizando a etnografia virtual. Revista Teias, v. 13, n. 30, p. 15 pgs., 2012.

OLIVEIRA, M. R. G. de. O diabo em forma de gente: (r)existências de gays afeminados, viados e bichas pretas na educação. Curitiba, 2017. 190f. Tese. Universidade Federal do Paraná. Curitiba-PR, 2017.

RATTS, A. Entre personas e grupos homossexuais negros e afro-lgttb. BARROS JÚNIOR, F. O. e LIMA, S. O. (Org.). Homossexualidade sem fronteiras. Rio de Janeiro-RJ: Booklinks, v. 1, p. 97-118, 2007.

RIBEIRO, R. J. Não há pior inimigo do conhecimento que a terra firme. Tempo Social, São Paulo, 11 (1), p. 189 – 195, maio de 1999.

RIBEIRO, S. Meu lacre é poder. Trip, São Paulo, 25 jul. 2016. Disponível em: < https://revistatrip.uol.com.br/tpm/stephanie-ribeiro-escreve-sobre-geracao-tombamento-e-afrofuturismo>. Acesso em: 25 jul. 2018.

RIBEIRO, D. O que é: lugar de fala? Belo Horizonte (MG): Letramento: Justificando, 2017.

SILVA, J. M. Geografias Subversivas: discurso sobre espaço, gênero e sexualidades. Ponta Grossa: Todapalavra, 2009.

_________. Geografias feministas, sexualidades e corporalidades: desafios às práticas investigativas da ciência geográfica. Espaço e cultura, UERJ: RJ, 2010.

SOUZA, R. R. As representações do homem negro e suas consequências. Revista Forum Identidades, Ano 3, Vol. 6, pp. 97-115, 2009.

TURRA NETO, N. Pesquisa Qualitativa em Geografia. In: XVI Encontro Nacional de Geógrafos. Anais... Belo Horizonte: AGB, 2012, p.1-10.

Downloads

Publicado

2020-02-28

Como Citar

PEREIRA DA SILVA, G. H. Práticas investigativas na ciência geográfica: contribuições para o estudo das masculinidades e práticas espaciais de homens gays pretos. Geografia em Atos (Online), Presidente Prudente, v. 1, n. 16, p. 109–120, 2020. DOI: 10.35416/geoatos.v1i16.7284. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/geografiaematos/article/view/7284. Acesso em: 22 abr. 2024.