PROFESORES EM SALA DE AULA: FILÓSOFOS, SOFISTAS OU BUFOS?

Autores

  • Gislene Aparecida dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.14572/nuances.v5i5.93

Palavras-chave:

Educação, Cidadania, LDB, Filosofia, Escola.

Resumo

A questão da educação para a cidadania tem freqüentado os discursos dos educadores e as atividades dos professores em sala de aula. Em parte, por uma opção pessoal ou apenas seguindo as diretrizes da lei que regimenta a educação nacional, estes profissionais se empenham em encontrar formas cada vez mais eficientes para transformar a escola (e a educação escolar) em local do aprendizado sobre a construção da cidadania e de valores éticos importantes para a superação da violência e das desigualdades presentes em nossa sociedade. Neste artigo são tecidas considerações sobre o significado que pode assumir a aceitação do pressuposto de que cabe a escola, e aos professores, a educação para o exercício da cidadania. Através da reflexão sobre a idéia de formacão do homem e do cidadão na antiguidade clássica e no caráter que ela assume na atualidade, avalia-se que a proposta de educação para a cidadania nas escolas pode conduzir professores e educadores a uma armadilha que os aprisiona a representação de papeis e a atitudes que entram em choque com os requisites necessárias a construção de uma sociedade verdadeiramente democrática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

15-12-2009

Como Citar

SANTOS, G. A. dos. PROFESORES EM SALA DE AULA: FILÓSOFOS, SOFISTAS OU BUFOS?. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 5, n. 5, 2009. DOI: 10.14572/nuances.v5i5.93. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/93. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê