O desenvolvimento das competências socioemocionais em alunos da educação básica como ferramenta de combate ao “bullying” nas escolas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32930/nuances.v32i00.9116

Palavras-chave:

Intimidação sistemática, Habilidades socioemocionais, Programas de intervenção escolar, Violência escolar, Clima escolar

Resumo

O bullying hoje é considerado um problema de saúde pública que cresce em todo mundo. Apesar de existir legislação no Brasil há anos tratando do combate a essa prática, as escolas ainda carecem de apoio e orientação sobre como implantar um programa e de que forma tratar os casos de bullying. À luz da Base Nacional Comum Curricular [BNCC] podemos compreender que um caminho possível para combater esse problema é desenvolver competência socioemocional nos alunos, porém muitas vezes a escola ainda acredita que desenvolver valores que contribuem para a formação moral do estudante seja uma responsabilidade exclusiva da família. O objetivo desta pesquisa foi investigar, por meio de uma revisão sistemática, de que forma programas que utilizaram o desenvolvimento de competências socioemocionais para combater o bullying escolar trabalharam, que competências desenvolveram e em especial se essas competências de fato se relacionaram aos casos de bullying, a fim de identificar quais caminhos são eficientes para combater a violência escolar e de que forma isso reflete na sociedade em que vivemos. Foi possível concluir que o desenvolvimento de competências socioemocionais pode trazer benefícios que vão além da prevenção da violência escolar, contribuindo também para a aprendizagem e para a vida dos alunos além da escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tania Facchini Ricci, Secretaria Municipal de Educação (SME), São Sebastião – SP

Coordenadora Pedagógica na Prefeitura Municipal de São Sebastião. Especialista em Gestão Escolar (USP/ESALQ/PECEGE).

José Anderson Santos Cruz, Programa de Educação Continuada em Economia e Gestão de Empresas (PECEGE) Esalq/USP MBAs – Piracicaba, SP

Professor Associado. Doutor em Educação Escolar, Universidade Estadual Paulista - Faculdade de Ciências e Letra FCLAr/Unesp. Editor Adjunto e Executivo da RIAEE. Editor da Editora Ibero-Americana de Educação. Editor e Assessoria Técnica para periódicos.

Referências

ALBALADEJO-BLÁZQUEZ, N. et al. Programa AEmo: Propuesta de intervención para el desarrollo de competencias emocionales para mejorar las relaciones interpersonales. In: CASTEJÓN COSTA, J. L. (coord.). Psicología y educación: presente y futuro. Alicante: ACIPE, 2016. p. 1339-1349.

ALCÂNTARA, S. C. et al. Violência entre pares, clima escolar e contextos de desenvolvimento: suas implicações no bem-estar. Ciência e Saúde Coletiva, v. 24, n. 2, 2019.

BERNAL, N.C. et al. Programa de convivencia e Inteligencia Emocional en Educación Secundaria. Creatividad y sociedad: Revista de la Asociación para la Creatividad, v. 29, p. 62-82, 2019.

BRANDÃO NETO, W. et al. Formation of protagonist adolescents to prevent bullying in school contexts. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 73, n. 1, 2020.

BRASIL. Lei n. 13.185, de 06 de novembro de 2015. Institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying). Brasília, DF, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13185.htm. Acesso em: 10 out. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, SEB, 2016. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/#/site/inicio. Acesso em: 10 out. 2021.

BRASIL. Lei n. 13.663, de 14 de maio de 2018. Altera o art. 12 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, para incluir a promoção de medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz entre as incumbências dos estabelecimentos de ensino. Brasília, DF, 2018. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2018/Lei/L13663.htm. Acesso em: 10 out. 2021.

CARDOSO, L. B. F.; GRAÇA, L. C. C.; AMORIM, M. I. S. P. L. Sentido interno de coerência, qualidade de vida e bullying em adolescentes. Psicologia, Saúde & Doenças, v. 16, n. 3, p. 345-358, 2015.

CASAS, J. A.; MARTÍN-CRIADO, J. M. Evaluación del efecto del programa “Ayuda entre iguales de Córdoba” sobre el fomento de la competencia social y la reducción del Bullying. Aula Abierta, v. 48, n. 2, p. 221-228, 2019.

COLLADO, M. A. C.; ATXURRA, J. R. L. La competencia de ayuda entre iguales para evitar la agresión en la escuela. Revista Internacional de Educación para la Justicia Social (RIEJS), v. 2, n. 1, p. 119-138, 2013.

COSTA, A. B.; COUTO, A. P. Como escrever um artigo de revisão sistemática. In: ZOLTOWSKIKOLLER, S. H.; COUTO, M. C. P.; HOHENDORFF, J. Manual de Produção Científica. Porto Alegre, RS: Penso Editora, 2014. p. 55-71.

DIAS, D. G.; SANTOS, S. F.; ERNESTO, T. S. O esfacelamento da identidade do sujeito pós-moderno vulnerável ao novo e antigo mal: o bullying. Perspectivas Online: Humanas & Sociais Aplicadas, v. 2, n. 5, 2012.

GONZÁLEZ, B. M.; RAMÍREZ, V. M. Acoso escolar y habilidades sociales en alumnado de educación básica. Ciencia ergo-sum, v. 24, n. 2, p. 109-116, 2017.

GÓRRIZ, A. B.; GÓMEZ, K. C.; BADENES, L. V. Análisis de la evitación de responsabilidad en preadolescentes implicados en acoso escolar. International Journal of Developmental and Educational Psychology: INFAD. Revista de Psicología, v. 2, n. 1, p. 39-48, 2011.

GUERREIRO, R. N. S. A.; FERNÁNDEZ, M. I. R. Competencias socioemocionales y "Bullying" en adolescentes. International Journal of Developmental and Educational Psychology: INFAD. Revista de Psicología, v. 1, n. 2, p. 243-252, 2016.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa nacional de saúde do escolar: 2015. 2016. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/educacao/9134-pesquisa-nacional-de-saude-do-escolar.html?=&t=o-que-e. Acesso em: 10 out. 2021.

LANDAZABAL, M. G.; VALDERREY, V. M. Efecto del Cyberprogram 2.0 sobre la reducción de la victimización y la mejora de la competencia social en la adolescência. Revista de Psicodidáctica, v. 19, n. 2, p. 289-305, 2014.

LEVANDOSKI, G.; CARDOSO, L. F. Imagem corporal e status social de estudantes brasileiros envolvidos em bullying. Revista Latinoamericana de Psicología, v. 45, n. 1, p. 135-145, 2013.

MALTA, D. C. et al. Prevalência de bullying e fatores associados em escolares brasileiros, 2015. Ciência e Saúde Coletiva, v. 24, n. 4, p. 1359-1368, 2019.

MATEO, S. M. Modelo INSERTE de mediación escolarpara el desarrollo de competencias sociocognitivas, emocionales y Morales. Padres Y Maestros / Journal of Parents and Teachers, v. 373, p. 6-14, 2018.

MENDES, C. S. Prevenção da violência escolar: avaliação de um programa de intervenção. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 45, n. 3, 2011.

MONJE, C. A. Los imaginarios sociales, el pensamiento crítico y la noviolencia, una forma para enfrentar el acoso escolar. Estudios Pedagógicos, v. 42, n. 3, 2016.

OIARBIDE, P. A.; ZUBELDIA, T. E. Programa de Facilitación de Aprendizaje y Prevención de Intimidación Escolar KIDE. Padres Y Maestros / Journal of Parents and Teachers, v. 373, p. 33-39, 2018.

ORREGO, T. M.; MILICIC, N.; VALENZUELA, P. A. Impacto en los niños de un programa de desarrollo socio-emocional en dos colegios vulnerables en Chile. Revista Iberoamericana de Evaluación Educativa, v. 6, n. 2, p. 167-186, 2013.

SAKUMA, T. H.; VITALLE, M. S. S. Progama de resiliência: Práticas educativas para a prevenção de bullying e promoção da saúde mental na adolescência. Revista Educação, v. 15, n. 1, p. 53-64, 2020.

SAMPÉN-DÍAZ, M. N.; AGUILAR-RAMOS, M. C.; TÓJAR-HURTADO, J. C. Educando la competencia social en Perú. Programa de prevención del maltrato escolar. REDIE: Revista Electrónica de Investigación Educativa, v. 19, n. 1, p. 46-57, 2017.

TOGNETTA L. R. P.; MARTÍNEZ, J. M. A.; ROSÁRIO, P. Bullying e suas dimensões psicológicas em adolescentes. Revista Infad de Psicologia, v. 7, n. 1, p. 289-296, 2014.

TOGNETTA L. R. P.; VINHA, T. P.; MARTÍNEZ, J. M. A. Bullying e a negação da convivência ética: quando a violência é um valor. Revista Infad de Psicologia, v. 7, n. 1, p. 315-322, 2014.

TOGNETTA, L. R. P. et al. Bullying e cyberbullying: quando os valores morais nos faltam e a convivência se estremece. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 12, n. 3, p. 1880-1900, 2017.

VAQUIER, L. M. V.; PEREZ, V. M.; GONZALEZ, M. L. G. La empatía docente en educación preescolar: un estudio con educadores mexicanos. Educação e Pesquisa, v. 46, e219377, 2020.

VILCHIS, R. M. et al. Prevención de la violencia escolar cara a cara y virtual en bachillerato. Psychology, Society & Education, v. 7, n. 2, p. 201-212. 2015.

Publicado

21-12-2021

Como Citar

RICCI, T. F.; SANTOS CRUZ, J. A. O desenvolvimento das competências socioemocionais em alunos da educação básica como ferramenta de combate ao “bullying” nas escolas. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 32, n. 00, p. e021003, 2021. DOI: 10.32930/nuances.v32i00.9116. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/9116. Acesso em: 30 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos Publicação Contínua