ADEUS PROFESSOR!

Autores

  • Rafael Rossi Docente na Faculdade de Educação e no Programa de Pós-Graduação em Educação da UNESP/FCT de Presidente Prudente - SP.
  • Aline Santana Rossi Pedagoga pelo Instituto Educacional do Estado de São Paulo. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências da UFMS em Campo Grande – MS.

DOI:

https://doi.org/10.32930/nuances.v30i1.6527

Resumo

O presente artigo é instrumento por meio do qual abordamos as origens históricas, bem como a orientação ideológica das pedagogias do “aprender a aprender”. Nesse aspecto, partimos das contribuições da tradição ontológica, bem como da Pedagogia Histórico-Crítica. Em primeiro lugar, explicitamos a gênese histórica e social do fenômeno ideológico. Demonstramos como que o critério para compreender aquilo que é ou não uma ideologia é a função que exerce na prática social. A partir destes entendimentos, avançamos para as raízes e desvalorizações presentes nas pedagogias do “aprender a aprender”, bem como suas implicações irracionalistas, relativistas e anti-humanistas. Desse modo, concluímos que estas propostas pedagógicas exercem a função social de se conformarem ideologias das classes que vivem da exploração do trabalho alheio. Reforçamos e defendemos a importância da educação escolar e do trabalho do professor no processo de transmissão e apropriação de conhecimentos científicos respaldados no processo histórico real e numa orientação crítica ontológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

31-12-2019

Como Citar

ROSSI, R.; SANTANA ROSSI, A. ADEUS PROFESSOR!. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 30, n. 1, 2019. DOI: 10.32930/nuances.v30i1.6527. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/6527. Acesso em: 27 nov. 2022.

Edição

Seção

Práticas Pedagógicas