FORMAÇÃO DE PROFESSORES: REFLEXÃO E EMANCIPAÇÃO

Autores

  • Amanda Cristina Teagno Lopes

DOI:

https://doi.org/10.14572/nuances.v10i11/12.394

Resumo

O texto analisa o conceito  de professor reflexivo e sua superação, o conceito de intelectual crítico-reflexivo. Partindo da elaboração proposta por Donald Shön, o artigo apresenta contribuições, críticas e limitações encerradas no conceito de professor reflexivo, formulações que conduzem ao conceito de intelectual crítico-reflexivo. Em seguida, é proposta uma breve discussão sobre o significado e o sentido da reflexão, apontando-se para a necessidade de elaboração de formas de concretização, na prática, da proposta de reflexão no interior das escolas. Ao final, a análise recai sobre as possibilidades de construção de práticas de reflexão docente no contexto da escola pública, processo que demanda, além de condições de trabalho, a construção de culturas colaborativas. Faz-se necessário, portanto, humanizar os processos formativos, aproximando as pessoas e construindo ambientes favoráveis à colaboração e à reflexão, superando-se propostas que concebem a formação como um processo meramente racional e técnico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-07-04

Como Citar

LOPES, A. C. T. FORMAÇÃO DE PROFESSORES: REFLEXÃO E EMANCIPAÇÃO. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 10, n. 11/12, 2011. DOI: 10.14572/nuances.v10i11/12.394. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/394. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê