Esporte adaptado e saúde mental

Promovendo a qualidade de vida a partir de experiências vividas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32930/nuances.v34i00.10164

Palavras-chave:

Esporte Adaptado, Saúde Mental, Futebol adaptado para Paratletas

Resumo

O estudo aborda a interseção entre o esporte adaptado, mais especificamente o futebol adaptado para paratletas, e a saúde mental. O objetivo é relatar a experiência de profissionais de Educação Física em saúde mental para paratletas, visando efetivar o controle da ansiedade pré-competição. A pesquisa adota uma abordagem qualitativa por meio de um relato de experiência inserido no contexto da pesquisa descritiva. Os resultados revelaram que o esporte adaptado transcende a mera atividade física, assumindo o papel de agente de transformação social e promovendo o empoderamento de pessoas com deficiência. No entanto, reconheceu-se que os paratletas enfrentam desafios, notadamente a ansiedade pré-competição, que pode impactar negativamente seu bem-estar mental. Diante dessa constatação, a formação em saúde mental surge como uma estratégia para auxiliar os paratletas na gestão da ansiedade, contribuindo para o aprimoramento de seu desempenho. Além disso, observou-se que essa formação não beneficia apenas os indivíduos, mas também pode ter um impacto positivo nas equipes como um todo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Nogueira Catunda, Universidade Estadual do Ceará

Mestrando em Ensino na Saúde (CMEPES/UECE). Especialista em Fisiologia do Exercício Físico (UECE) e em Educação Inclusiva e Gestão (PROMINAS). Graduado em Educação Física (UECE). Professor SEDUC. Coordenador Educação Especial (CREDE/CEARÁ).

Heraldo Simões Ferreira, Universidade Estadual do Ceará

Doutor em Saúde Coletiva (UECE). Professor Ajunto do Curso de Educação Física da Universidade Estadual do Ceará. Professor do Mestrado e Doutorado do Programa de Educação da Universidade Estadual do Ceará (PPGE/UECE).

Stela Lopes Soares, Universidade Estadual do Ceará

Pós-Doutoranda em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Doutora em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Coordenadora do Curso de Educação Física no Centro Universitário INTA (UNINTA EAD). 

Sócrates Almeida Holanda, Universidade Estadual do Ceará

Mestrando em Ensino na Saúde (CMEPES/UECE). Especialista em Educação Escolar/FACULMINAS. Graduado em licenciatura em Educação Física (UNIFAMETRO). Professor de Educação Física na Prefeitura Municipal de Fortaleza (SMF/Ceará).

Referências

ARAUJO, P. A. F. et al. A educação física escolar e a interação entre alunos com e sem deficiência: o olhar dos professores. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISADORES EM EDUCAÇÃO ESPECIAL, 8., 2013, Londrina. Anais [...]. [S. l.: s. n.], 2013. ISSN: 2175-960X. Disponível em: https://www.uel.br/eventos/congressomultidisciplinar/pages/arquivos/anais/2013/AT03-2013/AT03-009.pdf. Acesso em: 02 nov. 2023.

BRAGA, D. M. et al. Benefícios da Dança Esporte para Pessoas com Deficiência Física. Revista Neurociências, [S. l.], v. 10, n. 3, p. 153–157, 2002. Disponível em: https://www.academia.edu/108846757/Benef%C3%ADcios_da_Dan%C3%A7a_Esporte_para_Pessoas_com_Defici%C3%AAncia_F%C3%ADsica. Acesso em: 15 jul. 2023.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n.º 466, de 12 de dezembro de 2012. Trata sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 59, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 510, de 7 de abril de 2016. Trata sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa em ciências humanas e sociais. Brasília, DF: MS; CNE, 2016. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf. Acesso em: 20 nov. 2023.

BUSS, P. M. Uma introdução ao conceito de promoção da saúde. p.15-38. In: CZERESNIA, D., FREITAS, C. M. (org.). Promoção da saúde: conceitos, reflexões, tendências. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2003.

CEVADA, T. et al. Relação entre esporte, resiliência, qualidade de vida e ansiedade. Rev. Psiq. Clín., [S. l.], v. 39, n. 3, 2012. DOI: 10.1590/S0101-60832012000300003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rpc/a/Q3KRGHKBSH6Hb5mnwYSSdKG/#. Acesso em: 20 nov. 2023.

CHIOQUETTA, R. et al. Descrição da experiência de atuação em monitoria voluntária na disciplina de microbiologia veterinária. In: SEMANA DE INTEGRAÇÃO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, 1, Curitiba, 2009. Anais [...]. [S. l.: s. n.], 2009. Disponível em: https://anais.unicentro.br/siepe/isiepe/pdf/resumo_500.pdf. Acesso em: 25 out. 2023.

FABIANI, D. J. F.; SCAGLIA, A. J.; ALMEIDA, J. J. G. O jogo de faz de conta e o ensino da luta para crianças: criando ambientes de aprendizagem. Pensar a Prática, Goiânia, v. 19, n. 1, p. 130-42, 2016. DOI: 10.5216/rpp.v19i1.38568. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fef/article/view/38568. Acesso em: 15 nov. 2023.

FABIANI, M. T. Psicologia do esporte: A ansiedade e o estresse pré competitivo, Psicologia.pt, [S. l.], 2009. Disponível em: https://www.psicologia.pt/artigos/ver_artigo.php?codigo=A0483. Acesso em: 25 nov. 2023.

FERREIRA, J. S. F.; DIETTRICH, S. H. C.; PEDRO, D. A. Influência da prática de atividade física sobre a qualidade de vida de usuários do SUS. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 39, n. 106, p. 792-801, 2015. DOI: 10.1590/0103-1104201510600030019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/sdeb/a/XSdQ5k5j8WYwLm44tb6HPhr/abstract/?lang=pt#. Acesso em 02 nov. 2023.

FRAGALA-PINKHAM, M.; HALEY, S. M.; O’NEIL, M. E. Group aquatic aerobic exercise for children with disabilities. Developmental Medicine & Child Neurology, London, v. 50, n. 11, p. 822-7, 2008. DOI: 10.1111/j.1469-8749.2008.03086.x. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/19046177/. Acesso em: 15 nov. 2023.

GOMES, A. R.; CRUZ, J. F. A. A preparação mental e psicológica dos atletas e os factores psicológicos associados ao rendimento esportivo. Revista Treino Desportivo, [S. l.], Ano III, n. 16, p. 35-40, 2001. ISSN: 0871-4096. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/4200. Acesso em: 15 jul. 2023.

GREEN, L. W.; KREUTER, M. W. Health promotion planning, an educational and environmental approach. Mayfield Publishing Company, Mountain View, 1991. DOI: 10.1016/0738-3991(92)90152-9. Disponível em: https://deepblue.lib.umich.edu/handle/2027.42/30012. Acesso em: 15 nov. 2023.

GUTTMANN, A. From Ritual to Record: The Nature of Modern Sports. New York: Columbia University Press, 2004.

HEIL, E. A percepção de atletas com deficiência visual sobre o esporte adaptado. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Psicologia) – Universidade da Vale do Itajaí, Centro de Ciências da Saúde, 2008.

KOLAYIS, H. Examining how wheelchair basketball players’ self-esteem and motivation levels impact on their state and trait anxiety levels. Biology of Sport, [S. l.], v. 29, n. 4, 2012. DOI: 10.5604/20831862.1019884. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/273375464_Examining_how_wheelchair_basketball_players'_selfesteem_and_motivation_levels_impact_on_their_state_and_trait_anxiety_levels. Acesso em: 15 nov. 2023.

MAYER, S. M. et al. Projeto Piracema - natação para pessoas com deficiência: um relato de experiência. Caderno de educação física e esporte, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 343-348, 2019. DOI: 10.36453/2318-5104.2019.v17.n1.p343. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/20623. Acesso em: 15 jul. 2023.

MELO, A. C. R.; LÓPEZ, R. F. A. O Esporte Adaptado. Revista Digital, Buenos Aires, v. 8, n. 51, 2002. Disponível em: https://www.efdeportes.com/efd51/esporte.htm. Acesso em: 15 nov. 2023.

MUSSI, R. F. F.; FLORES, F. F.; ALMEIDA, C. B. Pressupostos para a elaboração de relato de experiência como conhecimento científico. Revista Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 17, n. 48, p. 60-77, 2021. DOI: 10.22481/praxisedu.v17i48.9010. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2178-26792021000500060. Acesso em: 26 nov. 2023.

NAHAS, M. V. Atividade Física, Saúde e Qualidade de Vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. 4. ed. Londrina, PR: Midiograf, 2006.

NEVES, S. S.; MARTINS, S. P. M. Contribuições do paradesporto para a saúde mental de atletas com deficiência. 2022. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação e Especialização em Psicologia) – Repositório Universitário da Ânima (RUNA), 2022.

OLIVEIRA, T. K. K. P.; PARANA, C. M. O. B. Deficiência física adquirida e aspectos psicológicos: uma revisão integrativa da literatura. Rev. Psicol. Saúde, Campo Grande, v. 13, n. 2, p. 97-110, 2021. DOI: 10.20435/pssa.v13i2.1212. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2177-093X2021000200008. Acesso em: 26 nov. 2023.

PAIVA, E. M.; CARLESSO, J. P. A importância do papel do psicólogo do esporte na atualidade: relato de experiência. Research, Society and Development, v. 8, n. 3, p. 01-17, 2019. DOI: 10.33448/rsd-v8i3.798. Disponível em: https://www.redalyc.org/journal/5606/560662194002/html/. Acesso: em: 09. jan. 2024.

RATEY, J. J; HAGERMAN, E. Corpo ativo mente desperta: a nova ciência do exercício físico e do cérebro. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

RUBIO, K. Origens e evolução da psicologia do esporte no Brasil. Revista bibliográfica de geografia Y ciências sociales, Barcelona, v. 7, n. 373, 2002. ISSN: 1138-9796. Disponível em: https://www.ub.edu/geocrit/b3w-373.htm. Acesso em: 15 nov. 2023.

SCLIAR, M. História do conceito de saúde. Physis: Rev. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 29-41, 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/physis/a/WNtwLvWQRFbscbzCywV9wGq/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 15 nov. 2023.

SEQUEIRA, C. et al. Avaliação das propriedades psicométricas do questionário de saúde mental positiva em estudantes portugueses do ensino superior. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, v. 11, p. 45-53, 2014. Disponível em: https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/19775/1/2014183.pdf. Acesso em: 15 nov. 2023.

SILVA, A. et al. Sleep quality evaluation, chronotype, sleepiness and anxiety of Paralympic Brazilian athletes: Beijing 2008 Paralympic Games. Br J Sports Med, [S. l.], v. 46, n. 2, p. 150–154, 2012. DOI: 10.1136/bjsm.2010.077016. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/21173008/. Acesso em: 15 nov. 2023.

SOUZA, J. V.; CHAVES, R. S. O surfe adaptado para pessoas com deficiência visual: uma “onda” de sensações. Revista Adapta, Presidente Prudente, v. 11, n. 1, p. 13-8, 2015. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/adapta/article/view/4564. Acesso em: 15 nov. 2023.

TWEED, S.; HOWE, D. Introduction to the paralympic movement. In: VANLANDEWIJCK, Y.; THOMPSON, W. (org.). The paralympic athlete. Singapore: Wiley-Blackwell, 2011. p. 294.

Publicado

30-12-2023

Como Citar

CATUNDA, F. N.; FERREIRA, H. S.; SOARES, S. L.; HOLANDA, S. A. Esporte adaptado e saúde mental: Promovendo a qualidade de vida a partir de experiências vividas. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 34, n. 00, p. e023010, 2023. DOI: 10.32930/nuances.v34i00.10164. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/10164. Acesso em: 22 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Publicação Contínua