A LUTA PELA TERRA EM MATO GROSSO DO SUL: O MST E O PROTAGONISMO DA LUTA NA ATUALIDADE/ The struggle for the land in Mato Grosso do Sul: MST and the protagonism of the struggle at the present time/ La disputa para la tierra en Mato Grosso del Sul: MST y el protagonism de la pelea en este momento

Danilo Souza Melo

Resumo


Em Mato Grosso do Sul, a questão agrária tem sua origem no processo de apropriação capitalista da terra ocorrido por meio de leis e políticas que permitiram a grilagem e a concentração fundiária no Estado. Os problemas sociais no campo se agravaram com a intensificação do atual modelo de agricultura capitalista, denominado de agronegócio, com origem na Revolução Verde, na década de 1970. A ocupação da fazenda Santa Idalina, no município de Ivinhema (MS), em abril de 1984, marcou a luta pela terra no Estado e colaborou para a formação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em nível estadual. Após 30 anos da ocupação, trabalhadores, camponeses e indígenas ainda estão engajados em movimentos sociais lutando pela conquista  de frações do território. Este artigo objetiva analisar a dinâmica das disputas no campo em Mato Grosso do Sul, entre os anos de1988 e 2014, por meio das ocupações registradas pelo Banco de Dados da Luta pela Terra (DATALUTA), discutindo ainda o protagonismo dos movimentos sociais no estado. Para cumprir com os objetivos, os procedimentos metodológicos foram: revisão bibliográfica sobre o assunto, sistematização de dados das ocupações de terra, trabalho de campo e a utilização de fontes orais. Essa diversidade na metodologia forneceu diferentes informações que se complementam e que foram analisadas e sistematizadas em gráficos, tabelas e mapas.

Palavras-chave


Questão agrária; movimentos socioterritoriais; ocupações; Mato Grosso do Sul

Texto completo:

PDF


 

 

 

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS 
 


                          
Gale
                       
ExLibris header image


APOIO

IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada