AGENTES, INTERESSES E RELAÇÕES. ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ACERCA DA PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO

Dayana Aparecida Marques de Oliveira Cruz

Resumo


O modo capitalista de produção atribui ao espaço através da lógica de valorização e desenvolvimento, sua característica desigual. O espaço urbano enquanto produto e produtor das relações sociais expressa em sua paisagem as marcas do desenvolvimento desigual, cujas ações que o materializaram foram oriundas de interesses hegemônicos e relações contraditórias estabelecidas para o alcance de objetivos voltados à uma demanda específica. As marcas e impactos da desigualdade inerentes à lógica de produção do espaço são vistas através dos diferentes padrões de ocupação e edificação, bem como no nível de acessibilidade correspondente a determinadas localizações. Através das leis, normas e regulamentos que regem o planejamento urbano as ações podem ser legitimadas ou não, o que varia de acordo com as relações estabelecidas entre o poder público e os demais agentes, no que tange a capacidade que este último tem de influenciar na regulamentação e aprovação das leis.


Texto completo:

ARTIGO


DOI: https://doi.org/10.35416/geoatos.v2i11.941

Direitos autorais

 ISSN: 1984-1647

E-mail para contato: geoatos.editorial@gmail.com

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.

  

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

  BASE LogoResultado de imagem para PERIÓDICOS CAPESResultado de imagem para sumarios.orgThumbnailResultado de imagem para redib

 
 Resultado de imagem para DRJI                                                    Resultado de imagem para MIAR INDEXADORResultado de imagem para latindexResultado de imagem para google scholar Resultado de imagem para J4F INDEXADOR