O ESPORTE PARALÍMPICO: VIVÊNCIAS PRÁTICAS

Autores

  • Joslei Viana de Souza Professora do Departamento de Ciências da Saúde da Universidade Estadual de Santa Cruz-UESC.
  • Richardson Santana Bispo Licencianda em Educação Física pela Universidade Estadual de Santa Cruz-UESC.
  • Erick Andrade Santos Licenciando em Educação Física pela Universidade Estadual de Santa Cruz-UESC.
  • Antonio Marcos Santos Mendes Licenciando em Educação Física pela Universidade Estadual de Santa Cruz-UESC.
  • Eduarda Souza Fernandes Licenciada em Educação Física pela Universidade Estadual de Santa Cruz-UESC.
  • Hildo Leonardo Gonçalves Pinto Licenciada em Educação Física pela Universidade Estadual de Santa Cruz-UESC.
  • Camila Fabiana Rossi Squarcini Professora do Departamento de Ciências da Saúde da Universidade Estadual de Santa Cruz-UESC.

Resumo

Os primeiros vestígios do esporte “adaptado”, como conhecemos atualmente, emergiu no pós-Guerra Mundial, quando os países que guerrearam receberam seus militares com sequelas físicas. Assim, naquela época os centros de reabilitação começaram a trabalhar os esportes adaptados, com o intuito de reabilitar. Com o passar do tempo, diversos esportes passaram a ter suas regras adaptadas para possibilitar às pessoas com deficiência a sua prática e treinamento (ARAÚJO, 2011; SALERNO; ARAÚJO, 2008; CIDADE; FREITAS, 2000).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-06-28

Como Citar

Souza, J. V. de, Bispo, R. S., Santos, E. A., Mendes, A. M. S., Fernandes, E. S., Pinto, H. L. G., & Squarcini, C. F. R. (2020). O ESPORTE PARALÍMPICO: VIVÊNCIAS PRÁTICAS. ADAPTA, 12(1), 17–24. Recuperado de https://revista.fct.unesp.br/index.php/adapta/article/view/7857

Edição

Seção

Artigos