Pedagogia histórico-crítica e a educação escolar das pessoas com deficiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32930/nuances.v31iesp.1.8291

Palavras-chave:

Pessoas com Deficiência, Educação Inclusiva, Pedagogia Histórico-Crítica, Práxis Pedagógica

Resumo

O propósito deste texto é discutir a relação entre o movimento histórico, social e educacional da Educação Inclusiva no Brasil e a proposta da Pedagogia Histórico-Crítica como práxis pedagógica, no sentido da compreensão e da superação da exclusão escolar generalizada, ainda presente em nosso país. Para a Pedagogia Histórico-Crítica, a superação da sociedade de classes e das desigualdades por ela produzidas é uma condição fundamental para que a diversidade humana se realize de forma plena e radical. Partindo da realidade da educação Inclusiva no Brasil, seus impasses e suas conquistas, o texto aborda os desafios e possibilidades da formação humana com escola para todos, em salas de aula que devem, efetivamente, atender às singularidades de seus alunos em direção ao domínio dos conhecimentos que a humanidade desenvolveu e a ciência, a filosofia e as artes sistematizaram. Em seguida, reflete-se, com os fundamentos da Psicologia Histórico-Cultural, que uma teoria pedagógica revolucionária deve mediar, por meio da obra da cultura, o desenvolvimento mental dos indivíduos, promovendo saltos de qualidade no desenvolvimento humano. O texto finaliza apontando a contraposição ao que propõe os “Projetos de Escolas sem Partido” que procuram restringir e eliminar o debate de ideias e as possibilidades do pensamento plural. Insiste-se na necessidade do estabelecimento de condições para que as “muitas vozes” sociais manifestem e apresentem suas explicações para os problemas concretos que afligem as pessoas com deficiência e as demais minorias sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anna Maria Lunardi Padilha, UFF/RJ

Doutorado em Educação, na linha de pesquisa Conhecimento Linguagem e Arte pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP/SP. Docente na Universidade Federal Fluminense. IPHEM/Rio de Janeiro.

Régis Henrique dos Reis Silva, UNICAMP/SP

Docente no Departamento de Filosofia e Histórica Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP/Campinas-SP. Doutor em Filosofia e História da Educação pela Universidade Estadual de Campinas.

Referências

BARROCO, S. M. S. Pedagogia histórico-crítica, psicologia histórico-cultural e educação especial: em defesa do desenvolvimento da pessoa com e sem deficiência. In: A. C. G. MARSIGLIA (Org.), Pedagogia histórico-crítica: 30 anos. Campinas: Autores Associados, 2011, p. 169-196.

BRASIL, Ministério da Educação. Orientações para Implementação da Política de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF, 2015. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download& alias=17237-secadi-documento-subsidiario-2015&Itemid=30192>. Acesso em 23/02/2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial. Brasília: MEC/SEESP, 1994a

BRASIL. Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência (CORDE). Declaração de Salamanca e Linha de Ação sobre Necessidades Educativas Especiais. Brasília, DF. 1994b.

BRASIL. CNE/CEB. Diretrizes Nacionais de Educação Especial para a Educação Básica. Resolução 02/2001. Brasília, 11 de setembro de 2001.

BRASIL. Decreto nº 6.571, de 17 de setembro de 2008. Dispõe sobre o atendimento educacional especializado, regulamenta o parágrafo único do art. 60 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e acrescenta dispositivo ao Decreto nº 6.253, de 13 de novembro de 2007. Brasília, Diário Oficial da União, 18 set. 2008b, seção 1, p. 26.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008a.

BUENO, J. G. S. A pesquisa educacional e a transformação das práticas escolares. In: DECHICHI,C.; SILVA, L. C. da (Org.) Inclusão escolar e educação especial: teoria e prática na diversidade. Uberlândia: EDUFU, 2008, p. 65-80.

CARVALHO, S. R.; MARTINS, L. M. A sociedade capitalista e a inclusão/exclusão. In: FACCI, M. G. D. et al. A exclusão dos “incluídos”. Maringá: EDUEM, 2012, p. 19-32.

DELLA FONTE, S. S. Considerações filosóficas sobre o uno e o múltiplo: provocações para a educação inclusiva. In: ZANOLLA, S. R. da S; BAPTISTA, T. J. R. (Org.). Educação, cultura, diversidade e formação. Campinas: Mercado das letras, 2016, p. 209-230.

DORÉ, R. et al. A integração escolar: os principais conceitos, os desafios e os fatores de sucesso no secundário. In: MANTOAN, M. T. E. et al. A Integração de pessoas com deficiência: contribuições para uma reflexão sobre o tema. São Paulo: Menom/SENAC, 1998. p. 174-183.

DUARTE, N. Os conteúdos escolares e a ressurreição dos mortos: contribuição à teoria histórico-crítica do currículo. Campinas: Autores Associados, 2016.

DUARTE, N. Vigotski e a pedagogia histórico-crítica: a questão do desenvolvimento psíquico. Nuances: estudos sobre Educação, Presidente Prudente, SP, V. 24, n. 1, p. 19-29, jan./abr. 2013.

FRIGOTTO, G. A gênese das teses do Escola sem Partido: esfinge e ovo da serpente que ameaçam a educação. In: FRIGOTTO, G. (org.). Escola “sem” partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: UERJ, LPP, 2017.

GARCIA, R. M. C; MICHELS, M. H. A política de educação especial no Brasil (1991-2011): uma análise da produção do GT 15 – educação especial da ANPED. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, v.17, p.105-123, Maio-Ago., 2011. Edição Especial.

GARCIA. R. M. C. Políticas inclusivas na educação: do global ao local. In: BAPTISTA, C. R; CAIADO, K. R. M; e JESUS, D. M. de. (Org.). Educação especial: diálogo e pluralidade. 2ª ed. Porto Alegre/RS: Editora Mediação, 2010, p. 11-23.

KASSAR, M. de C. M. Percursos da constituição de uma política brasileira de educação especial inclusiva. Rev. Bras. Ed. Esp. Marília, v.17, p.41-58, Maio-Ago., 2011. Edição Especial.

KUENZER, A. Z. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D.; SANFELICE, J. L. (Orgs.). Capitalismo, trabalho e educação. Campinas: Autores Associados, 2005. p. 77-95.

MARTINS, L. M. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar. Campinas: Autores Associados, 2013.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2004.

MASCARO, A. L. Direitos Humanos, uma crítica marxista. Lua Nova. 101, p. 109-137, São Paulo, 2017.

MELETTI, S. M. F.; RIBEIRO, K. Indicadores educacionais sobre a educação especial no Brasil. Cad. Cedes, Campinas, v. 34, n. 93, p. 175-189, maio-ago. 2014.

MENDES, E. G. A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Rev. Bras. Educ., Campinas: Autores Associados, v. 11, n. 33, set./dez. p. 387-405, 2006.

MORTATTI, M. do R. L. Um balanço crítico da “Década da Alfabetização” no Brasil. Cad. Cedes, Campinas, v. 33, n. 89, p. 15-34, jan.-abr. 2013

PADILHA, A. M. L. Inclusão social e escolar das pessoas com deficiência intelectual: do direito e do dever, dos fundamentos e da práxis. In: OLIVEIRA, A. A. S. et al (Orgs.). Educação especial e inclusiva: contornos contemporâneos em educação e saúde. Curitiba: CRV, 2018, p.53-71.

PADILHA, A. M. L.; OLIVEIRA, I. M. Educação para todos: as muitas faces da inclusão. Campinas: Papirus, 2013.

PIERUCCI, A. F. Ciladas da diferença. São Paulo, USP/ Editora 34, 2008.

SAVIANI, D. Infância e pedagogia histórico-crítica. In: MARSIGLIA, A. C. (Org.). Infância e Pedagogia Histórico-Crítica. Campinas, SP: Autores Associados, 2013. p. 247-280.

SAVIANI, D. Escola e democracia. 39ª ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2007. Coleção Polêmicas do Nosso Tempo; vol. 5. 96 p.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. Campinas: Autores Associados, 2011.

SAVIANI, D.; DUARTE, N. Pedagogia histórico-crítica e luta de classes na educação escolar. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

SILVA JÚNIOR, J. dos R. A racionalidade mercantil da pós-graduação: a produção da ciência pragmática e do individualismo profissional. In: QUARTIERO, E. M.; BIANCHETTI, L. (Org.). Educação corporativa: mundo do trabalho e do conhecimento: aproximações. Santa Cruz do Sul, SC: EDUNISC; São Paulo, SP: Cortez, 2005. p. 288-312.

SILVA, R. H. dos R. Tendências teórico-filosóficas das teses em educação especial desenvolvidas nos cursos de doutorado em educação e educação física do Estado de São Paulo (1985-2009). Doutorado (Doutorado em Educação) – Departamento de Filosofia e História da Educação, Unicamp, Campinas/SP. 2013.

SILVA, R. H. dos R.; SOUSA, S.; VIDAL, M. H. C. Dilemas e perspectivas da educação física, diante do paradigma da inclusão. Pensar a Prática, 11, ago. 2008. Disponível em: http://www.revistas.ufg.br/index.php/fef/article/view/1793/4089. Acesso em: 07 dez. 2010.

VÁZQUEZ, A. S. Filosofia da Práxis. Buenos Aires: CLACSO; São Paulo: Expressão Popular, 2007.

VYGOTSKI, L. S. Obras Escogidas, Vol II. Madrid: Visor, 1993.

VYGOTSKI, L. S. Obras Escogidas, Vol. V. Madrid: Visor, 1997.

Downloads

Publicado

01-12-2020

Como Citar

PADILHA, A. M. L.; SILVA, R. H. dos R. Pedagogia histórico-crítica e a educação escolar das pessoas com deficiência. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 31, n. esp.1, p. 103–125, 2020. DOI: 10.32930/nuances.v31iesp.1.8291. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/8291. Acesso em: 19 jun. 2024.