O TEXTO FICCIONAL E A EXPERIÊNCIA LITERÁRIA DOS BEBÊS

Autores

  • Celia Abicalil Belmiro UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS http://orcid.org/0000-0002-9895-7550
  • Mônica Correia Baptista UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
  • Cristiene de Souza Leite Galvão UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

DOI:

https://doi.org/10.14572/nuances.v28i2.5275

Palavras-chave:

Literatura infantil. Crianças. Creches. Livro infantil. Avaliação da qualidade.

Resumo

Investigam-se, em livros destinados a crianças de zero a dois anos, diferentes níveis de leitura que a linguagem literária possibilita. Os bebês, sujeitos produtores de cultura, criam, nas interações com os outros e com o meio, distintos mundos em diferentes tempos e espaços. Essa abstração, tão necessária e característica do texto ficcional, nem sempre está garantida em obras para essa faixa etária, o que acarreta diferenças singulares nas publicações para esse público. Assim, algumas questões orientam esta investigação: Que características possuem essas obras que fazem com que sejam classificadas como destinadas a crianças de zero a dois anos? Quais desses livros poderiam receber o selo de literários? As perspectivas teóricas de Benjamin (2012), Vigostski (2009), e Golse (2007) nos ajudam a compreender as relações entre leitura e experiências afetivas e cognitivas nessa faixa etária. Bernardo (2004; 2010) redimensiona o conceito de literatura, atitude necessária para a apreensão da pluralidade de produções atuais. Hunt (2010) amplia esse conceito e auxilia a configurar as especificidades dos textos literários destinados às crianças. O corpus de análise foi selecionado a partir de acervo particular e procurou abranger a diversidade de produções para essa faixa etária. Foram levantadas as seguintes categorias: materialidade, temática, gênero, conceito da obra. Os resultados indicam que é possível classificar livros para bebês como literários. Ainda que muitas publicações destinadas a esse grupo não apresentem uma estrutura narrativa, já observam-se indícios de fratura com o real e um exercício ficcional capaz de criar tensões das mais variadas cores e tons.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Celia Abicalil Belmiro, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

DEPARTAMENTO DE MÉTODOS E TÉCNICAS DE ENSINO

FACULDADE DE EDUCAÇÃO 

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

Mônica Correia Baptista, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR

FACULDADE DE EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

Cristiene de Souza Leite Galvão, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

DOUTORANDAPÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO: INCLUSÃO SOCIALFACULDADE DE EDUCAÇÃOUNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

Downloads

Publicado

13-04-2018

Como Citar

BELMIRO, C. A.; BAPTISTA, M. C.; LEITE GALVÃO, C. de S. O TEXTO FICCIONAL E A EXPERIÊNCIA LITERÁRIA DOS BEBÊS. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 28, n. 3, 2018. DOI: 10.14572/nuances.v28i2.5275. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/5275. Acesso em: 22 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê