Reflexões sobre a BNCC no Ensino Fundamental

Abordagem conceitual da dimensão cognitiva e a necessidade da metamorfose

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32930/nuances.v35i00.10407

Palavras-chave:

BNCC, Ensino fundamental, Escolarização básica, Dimensão cognitiva

Resumo

Proposto como parte de um estudo mais abrangente e em busca de um aprofundamento teórico, este trabalho questiona, discute e reflete sobre alguns conceitos e fundamentos apresentados pela BNCC em relação às questões estruturais e ao modelo de escola vigente. O texto, nessa direção e sentido, procura, à luz de uma exploração teórica reflexiva, analisar na complexidade desse instrumento, tanto conceitual como de direcionamento para a escolarização básica, o pautar do fazer pedagógico no cotidiano da escolarização. Considera certa incompletude pela distância existente entre a sua formulação idealizada e a realidade estrutural na qual será aplicado, uma vez que fora instituído para que, os escolarizados, tenham assegurados seus direitos de aprendizagem e desenvolvimento, em conformidade com o que preceitua o Plano Nacional de Educação. Considera as concepções de aprendizagem e desenvolvimento que se apresentam orientados pelos princípios éticos, políticos e estéticos que visam à formação humana integral e à construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva, impõem uma forte criticidade por conta de sua complexidade operacional e a insuficiência do modelo institucional frente ao “desejo” do sistema educativo, no limite, de buscar permanentemente a superação das desigualdades na escolarização e sua efetividade na unidade escolar por esses princípios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sebastião de Souza Lemes, Universidade Estadual Paulista

Professor no Departamento de Educação. Doutorado em Psicologia (USP). Editor (Revista on line de Política e Gestão Educacional - RPGE).

Referências

BENINI, S.; PETTIGNANO, M. Transizioni nella prima infanzia: entrata nella Scuola dell’infanzia e passaggio alla Scuola elementare. Le prospettive di docenti e genitori. Locarno, Italia, 2020.

BERNSTEIN, B. Pedagogy, symbolic control and identity: theory, research, critique. London: Taylor & Francis, 1996.

BERNSTEIN, B. Pedagogy, Symbolic Control and Identity: Theory, Research, Critique. London: Rowman & Littlefield Publishers, 2000.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Presidência da República. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 27833, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CNE/CEB n. 11/2010, aprovado em 7 de julho de 2010. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental de 9 (nove) anos. Brasília, DF: MEC, 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid=6324&Itemid=. Acesso em: 7 dez. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília, DF: MEC; SEB; DICEI, 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=13448-diretrizes-curiculares-nacionais-2013-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 7 dez. 2023.

BRASIL. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2014. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 7 dez. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP n. 15/2017. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília, DF: MEC; CNE, 2017. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2017-pdf/78631-pcp015-17-pdf/file. Acesso em: 7 dez. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2018.

CACIOPPO J. T.; PETTY R. E. The need for cognition. Journal of Personality and Social Psychology, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 116–131, 1982. DOI: 10.1037/0022-3514.42.1.116. Disponível em: https://psycnet.apa.org/record/1982-22487-001. Acesso em: 7 dez. 2023.

CACIOPPO, J. T.; PETTY, R. E. Central and peripheral route sto persuasion: The role of message repetition. In: ALWITT, L.; MITCHELL, A. (ed.). Psychological processes and advertising effects. Hillsdale: Lawrence Erlbaum, 1985.

CACIOPPO, J. T.; PETTY, R. E. Communication and persuasion: Central and peripheral routes to attitude change. New York: Springer Verlag, 1986.

JAFFRO, L. Habermas et le sujet de la discussion. Dans Cités, [S. l.], v. 1, n. 5, p. 71-85, 2001. Disponível em: https://www.cairn.info/revue-cites-2001-1-page-71.htm. Acesso em: 7 dez. 2023.

KASTRUP, V. O funcionamento da atenção no trabalho do cartógrafo. In: PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. (org.). Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2009. 207 p.

LEMES, S. S. Os Estilos Cognitivos: dependência e independência de campo- na formação e no desempenho acadêmico em duas áreas de conhecimento: exatas e humanas. 1998. Tese (Tese de Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

MORIN, E. Eloge de la métamorphose. Pour éviter la désintégration du "système Terre, il faut d'urgence changer nos modes de pensée et de vie, estime le sociologue. Le monde, [S. l.], 2010. Disponível em: https://www.lemonde.fr/idees/article/2010/01/09/eloge-de-la-metamorphose-par-edgar-morin_1289625_3232.html. Acesso em: 7 dez. 2023.

NÓVOA, A. Escolas e Professores: Proteger, Transformar, Valorizar. Salvador: SEC/IAT, Bahia, 2022.

PENNINGS, A. H.; SPAN, P. Estilos cognitivos e estilos de aprendizagem. In: ALMEIDA, L. S. Cognição e aprendizagem escolar. Porto, Portugal: Apport, 1991.

RENABE. Relatório Nacional de Alfabetização Baseada em Evidências. Brasília, DF: MEC/Sealf, 2020. Disponível em: https://www.gov.br/mec/pt-br/media/acesso_informacacao/pdf/RENABE_web.pdf. Acesso em: 7 dez. 2023.

SMITH, J. D. Estilos de aprendizagem na educação de adultos. Revista Portuguesa de Pedagogia, Coimbra, ano 24, n. 1, p. 317-43, 1990.

YOUNG, M. Alternative education futures for a knowledge society. In: EUROPEAN COUNCILL FOR EDUCATIONAL RESEARCH CONFERENCE, 2009. Proceedings […]. Vienna: Austria, 2009a.

YOUNG, M. Education, globalization and the ‘voice of knowledge’. Journal of Education and Work, [S. l.], v. 22, p. 193-204, 2009b. DOI: 10.1080/13639080902957848. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/13639080902957848. Acesso em: 7 dez. 2023.

YOUNG, M.; MULLER, J. Três cenários educacionais para O futuro: lições da sociologia do conhecimento. Tradução: Jessé Rebello. Est. Aval. Educ., São Paulo, v. 27, n. 65, p. 522-551, 2016. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/5619756.pdf. Acesso em: 10 dez. 2023.

Publicado

22-04-2024

Como Citar

LEMES, S. de S. Reflexões sobre a BNCC no Ensino Fundamental: Abordagem conceitual da dimensão cognitiva e a necessidade da metamorfose. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 35, n. 00, p. e024003, 2024. DOI: 10.32930/nuances.v35i00.10407. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/10407. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Publicação Contínua