Um breve panorama dos cursos d’água na paisagem urbana de Presidente Prudente - SP

Beatriz Fagundes

Resumo


As cidades apresentam uma conflituosa relação com suas águas. A maioria dos espaços urbanos apresenta ambientes dotados de infra-estrutura, mas os cursos d’água encontram-se, degradados, sujos, fétidos e, devido a isso que, as intervenções realizadas nesses ambientes passam a ser vistas de forma natural, como se a canalização fosse o destino final para essas águas. A partir destas constatações e observando, na vivência cotidiana, a paisagem urbana de Presidente Prudente - SP, nos despertou o interesse em verificar como ocorreu, neste espaço, a relação - cidade e cursos d’água, principalmente, porque a malha urbana foi se sobrepondo a um denso sistema hidrográfico, constituído por pequenos cursos d’água, ou seja, vários córregos que fazem parte das bacias hidrográficas do Rio Santo Anastácio e do Rio do Peixe, sendo estes os principais rios do município. Por essa razão que, neste artigo, procuramos mostrar um panorama de como ocorreram as intervenções nos cursos d’água na cidade de Presidente Prudente e como hoje esses córregos, aparecem (ou não) na paisagem urbana.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.35416/geoatos.v2i9.6337

Direitos autorais 2019 Geografia em Atos (Online)

 ISSN: 1984-1647

E-mail para contato: geoatos.editorial@gmail.com

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.

  

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

  BASE LogoResultado de imagem para PERIÓDICOS CAPESResultado de imagem para sumarios.orgThumbnailResultado de imagem para redib

 
 Resultado de imagem para DRJI                                                    Resultado de imagem para MIAR INDEXADORResultado de imagem para latindexResultado de imagem para google scholar Resultado de imagem para J4F INDEXADOR