INTEGRAÇÃO ECONÔMICA DA AMAZÔNIA NO CONTEXTO DE UM BRASIL DUAL: DO CICLO DA BORRACHA À IMPLANTAÇÃO DA RODOVIA BR-163

Reginaldo José de Souza, Paula Vanessa de Faria Lindo

Resumo


As fases de ascensão e recessão do desenvolvimento do capitalismo mundial (Ciclos de
Kondratieff) estão profundamente ligadas àquilo que Ignácio Rangel chamou de Dualidade da Economia
Brasileira, ou seja, a permanência no Brasil de atrasadas relações de produção e comércio exterior frente ao
centro dinâmico europeu e, posteriormente, norte-americano. Neste texto, apresentaremos momentos (e
alguns desdobramentos) da integração da região amazônica à economia nacional, de acordo com as
teorizações do autor mencionado. Primeiramente, faremos rápidas considerações sobre a Teoria da
Dualidade Básica, perpassando pela relação entre os ciclos longos e suas manifestações sobre as relações de
produção estabelecidas no País – no intuito de propor elementos elucidativos do processo de ocupação da
Amazônia Brasileira. Posteriormente, trataremos com mais alguns detalhes da incorporação econômica da
Amazônia em sua relação com os ritmos ascendentes ou recessivos dos ciclos longos. Por fim,
discorreremos, de modo crítico, sobre aspectos da implantação da rodovia Cuiabá-Santarém (BR-163)
enquanto infra-estrutura para o desenvolvimento.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33081/formacao.v1i16.867

Revista Formação (Online). ISSN: 1517-543X. E-ISSN: 2178-7298

 

 

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

                         

Imagem relacionada

Apoio