PARADOXOS DA TECNIFICAÇAÇÃO AGRÍCOLA NO NORTE DO PARANÁ

Eliane Tomiasi Paulino

Resumo


Diante das mudanças recentes no campo e da ampla e genérica utilização do conceito de modernização para explicá-las, uma reflexão mais cuidadosa não deixa de ser pertinente, sobretudo porque nos dias atuais, moderno é uma terminologia sagaz, cujo brilho pode ocultar sua face mais obscura, a exemplo dos desdobramentos desse processo no Brasil. É nesse bojo que outro conceito, o de camponês, quase acaba por ser banido e, como num passe de mágica, no plano analítico, os seres sociais a que se refere. Esse curso dos fatos acaba por explicitar uma falsa dualidade: o moderno contra o ultrapassado. Fiel à advertência de Shanin de que o preço da utilização dos modelos é a eterna vigilância, ao referirmo-nos ao teor desse debate, temos o propósito de refletir sobre a necessidade de se distinguir incorporação de tecnologia com modernização das relações de produção. Assim, é a explicitação dos paradoxos que esse mesmo processo produziu no Norte do Paraná, uma das áreas de maior índice de tecnificação do país, que se constitui a tônica desse trabalho.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33081/formação.v2i13.634

Revista Formação (Online). ISSN: 1517-543X. E-ISSN: 2178-7298

 

 

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

                         

Imagem relacionada

Apoio