ÁREAS VERDES E TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE NA CIDADE DE TRÊS LAGOAS/MS

Adalto Moreira Braz, Christian Arne Kunkel, Paola Vicentini Boni, Amanda Moreira Braz, Alécio Perini Martins

Resumo


O trabalho aborda o tema das áreas verdes e a sua relação com a temperatura da superfície na cidade de Três Lagoas/MS. Mapear, caracterizar e relacionar as áreas verdes com a temperatura da superfície foram os objetivos adotados. Entremeado ao aporte e potencial metodológico coube uma discussão para a classificação, ainda que em primeiras aproximações, das atuais áreas verdes, em potencialidades ou as já efetivas para a população. Os procedimentos adotados como referências se mostraram satisfatórios para atingir os objetivos propostos e colaborar com o levantamento de dados, informações e resultados que aproximem esta temática para futuros trabalhos de planejamento, biologia, climatologia e biogeografia urbana na cidade de Três Lagoas. No mapeamento de uso da terra, como esperado para uma cidade, a maior classe foi a “área urbana consolidada” e, numa relação ao uso da terra, os valores do Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI) foram considerados baixos. No que tange à identificação das áreas verdes, identificou-se 7 áreas na cidade, relevando as características adotadas para a caracterização. Por fim, identificou-se na cidade um grande potencial que ainda é pouco aproveitado em relação as áreas verdes.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, E. D. L. Ilha de Calor Urbana e Simulações: aplicação metodológica para o reordenamento do território. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 18, n. 61, p. 33-43, março/2017.

ARTIS, D. A.; CARNAHAN, W. H. Survey of emissivity variability in thermography of urban areas. Remote Sensing of Environment, vol. 12, p. 313–329, 1982.

BRASIL. Lei nº 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. DOU de 19 de julho de 2000. Brasília, DF. 2000. Disponível em: . Acesso 7 jul. 2016.

CALLEJAS, I. J. A. et al. Uso do Solo e Temperatura Superficial em Área Urbana. Mercator, vol. 10, n. 23, 207-223, set.-dez./2011.

CASELLES, V. et al. Thermal band selection for the PRISM instrument. Analysis of emissivity-temperature separation algorithms. JOURNAL OF GEOPHYSICAL RESEARCH, Maringá, v. 102, n. D10, p. 11,145-11,164, maior, 27, 1997.

COX, E. P. Interação entre Clima e Superfície Urbanizada: o caso da cidade de Várzea Grande/MT. 2008. 142 f. Dissertação (Mestrado em Física e Meio Ambiente) do Programa de Pós-Graduação em Física e Meio Ambiente. Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá. 2008.

ARCGIS. Desktop, versão 10.4.1. Environmental Systems Research Institute (ESRI). Software. 2017.

FERREIRA, L. F.; CARRILHO, S. T.; MENDES, P. C. Áreas Verdes Urbanas: uma contribuição aos estudos das ilhas de frescor. Brazilian Geographical Journal: geosciences and humanities research medium, v. 6, p. 101-120, jul./dez., 2015.

GUSSO, A.; FONTANA, D. C.; GONÇALVES, G. A. Mapeamento da temperatura da superfície terrestre com uso do sensor AVHRR/NOAA. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 42, p. 231-237, 2007.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. CENSO DEMOGRÁFICO 2010. Características da população e dos domicílios: resultados do universo. Rio de Janeiro: IBGE, 2011. Acompanha 1 CD-ROM. Disponível em: < http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=500830>. Acesso em: 27 mai. 2017.

Instituo Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE. Divisão de Geração de Imagens (DGI), imagens orbitais, CBERS 4. 02/04/2016. São José dos Campos. Disponível em: . Acesso em 02 abr. 2017.

LIMA, A. M. L. P. Problemas de Utilização na Conceituação de Termos como Espaços Livres, Áreas Verdes e Correlatos. In: Congresso Brasileiro de Arborização Urbana. Anais... II Congresso Brasileiro de Arborização Urbana, São Luís/MA. 18 a 24 de setembro, 1994, p. 539-553

LOMBARDO, M. A. O Processo de Urbanização e a Qualidade Ambiental – efeitos adversos no clima. Revista Brasileira de Geografia, v. 52, n. 4, p. 161 - 166, out./dez., 1990

LONDE, P. R.; MENDES, P. C. A Influência das Áreas Verdes na Qualidade de Vida Urbana. Hygeia, vol. 10, n. 18, p.264 - 272, jun., 2014.

NASCIMENTO, D. T. F. Emprego de técnicas de sensoriamento remoto e de geoprocessamento na análise multitemporal do fenômeno de ilhas de calor no município de Goiânia-GO (1986/2010). 2011. 98 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) do Programa de Pesquisa e Pós-Graduação em Geografia – Instituto de Estudos Socioambientais. Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiania, 2011.

NDOSSI, M. I.; AVDAN, U. Application of Open Source Coding Technologies in the Production of Land Surface Temperature (LST) Maps from Landsat: a PyQGIS plugin. Remote Sensing, vol. 8, 413, n. 5, p. 1–31, 2016a.

______. Inversion of Land Surface Temperature (LST) Using Terra ASTER Data: A Comparison of Three Algorithms. Remote Sensing, vol. 8, 993, n. 12, p. 1–19, 2016b.

PONSO, A. G. et al. Campo Térmico da Cidade de Três Lagoas (MS): comparação urbano/rural. Revista Geonorte, edição especial, n. 2, n. 4, p. 770 – 781, 2012.

Prefeitura Municipal de Três Lagoas. Revisão do Plano Diretor de Três Lagoas. Diagnóstico e Prognóstico territorial. Elaboração: Synergia. Junho, 2016.

ROUSE, J. W. et al. Monitoring vegetation systems in the great plains with ERTS. In: Earth Resources Technology Satellite-1 Symposium, 3, Washington, 1973. Proceedings... Whashington: NASA, 1974, v.1, p.309-317, 1973.

SABADINI JUNIOR., J. C. Arborização urbana e a sua importância à qualidade de vida. Revista Jus Navigandi, Teresina, ano 22, n. 5069, 18 maio 2017. Disponível em: . Acesso em: 27 mai. 2017.

SINHA, S. et al. Remote Estimation of Land Surface Temperature for Different LULC Features of a Moist Deciduous Tropical Forest Region. In: SRIVASTAVA, P. K.; MUKHERJEE, S.; GUPTA, M.; ISLAM, T. (Org.). Remote Sensing Applications in Environmental Research. Springer: Berlin, Germany; Heidelberg, Germany, 2014; p. 57–68.

TRÊS LAGOAS. Lei nº 2.083, de 28 de setembro de 2006. Institui o Plano Diretor do município de Três Lagoas e dá outras providências. Diário Oficial de 05 de outubro de 2006. Três Lagoas, MS. 2006. Disponível em: . Acesso em: 12 mai. 2017.

______. Lei nº 3.211, de 06 de dezembro de 2016. Altera dispositivos da Lei nº 2.083, de 28 de setembro de 2006 e dá outras providências. Câmara Municipal, Sala das Sessões, 07 de dezembro de 2016. Três Lagoas, MS. 2006. Disponível em: . Acesso em: 18 mai. 2017.

______. Secretaria de Meio Ambiente realiza primeira ação do Projeto “Áreas

Mais Verdes” neste sábado. Prefeitura Municipal de Três Lagoas, Três Lagoas, 10 janeiro 2017a. Disponível em: . Acesso em: 22 mai. 2017.

______. Segunda ação do Projeto “Áreas Mais Verdes” da Secretaria de Meio

Ambiente será no Jardim Maristela. Prefeitura Municipal de Três Lagoas, Três Lagoas, 17 março 2017b. Disponível em: . Acesso em: 22 mai. 2017.

______. Terceira etapa do Projeto “Áreas Mais Verdes” conta com ajuda da

Paróquia Santa Luzia. Prefeitura Municipal de Três Lagoas, Três Lagoas, 10 abril 2017c. Disponível em: . Acesso em: 22 mai. 2017.

______. Lei nº 2.277, de 01 de julho de 2008. Dispõe sobre a Política do Meio Ambiente de Três Lagoas – MS e dá outras providências. Câmara Municipal, Sala das Sessões, Três Lagoas – MS, 02 de julho de 2008. Três Lagoas, MS. 2008. Disponível em: . Acesso em: 16 mai. 2017.

United States Geological Survey – USGS. Earth Explorer, orbital imagens, Landsat 8. 13/03/2016. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

VAN DE GRIEND, A. A.; OWE, M. On the relationship between thermal emissivity and the normalized difference vegetation index for natural surfaces. International Journal of Remote Sensing, v. 14, n. 6, p. 1119-1131, 1993.

VAN DE GRIEND, A. et al. Botswana Water and Surface Energy Balance Research. Program. Part 1: integrated approach and field campaign results. NASA Goddard Space Flight Center: Greenbelt, MD, USA, 1992.

ZHANG, J.; WANG, Y.; LI, Y. A C++ program for retrieving land surface temperature from the data of landsat TM/ETM+ band6. Computers & Geosciences, vol. 32, p. 1796–1805, 2006.




Revista Formação (Online). ISSN: 2178-7298. E-ISSN: 1517-543X

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS









Apoio