Velhos processos, novos controles: uma análise do exercício do controle social nos espaços residenciais populares fechados

Ricardo Lopes Batista

Resumo


Partindo do pressuposto de que as cidades contemporâneas experimentaram a transição da “sociedade da disciplina” (caracterizada pela disciplinarização dos corpos) para a “sociedade do controle” (caracterizada pela disciplinarização das massas), analisamos como as novas técnicas disciplinares, dentre as quais se destacam aquelas relacionadas à organização espacial (em suas múltiplas escalas), se articulam para assegurar a manutenção do poder. A insegurança torna-se dimensão central da produção do espaço urbano, ao mesmo tempo em que se amplia o acesso à habitação popular, num processo caracterizado pelo surgimento e rápida difusão de espaços residenciais populares fechados (ERPFEs) que, segundo nossa hipótese, expressam e reproduzem as novas formas de controle social próprias da “sociedade do controle”. Neste artigo, adotamos a perspectiva de análise do cotidiano, priorizando as práticas espaciais dos moradores dos ERPFEs em Presidente Prudente/SP e Três Lagoas/MS como forma de identificar o exercício do controle sobre estes citadinos. 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33081/formacao.v2i22.3618

Revista Formação (Online). ISSN: 1517-543X. E-ISSN: 2178-7298

 

 

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

                         

Imagem relacionada

Apoio