AS DUAS DIMENSÕES DA POBREZA: MATERIAL E POLÍTICA

Cláudia Marques Roma

Resumo


Pensar nas relações entre os agentes sociais/sujeitos e a visibilidade dos processos sociais, características dos conteúdos existentes nas cidades locais híbridas1, nos possibilitará melhor compreender as dinâmicas existentes entre a dimensão material e política da pobreza e isso, como parte do próprio conteúdo dessas localidades. Assim, neste artigo discutiremos a questão da pobreza estrutural, a relação entre pobreza e circuito inferior da economia e as questões entre assistência social e assistencialismo, como elementos estruturadores das relações políticas. Demonstraremos, assim, que esses fatores são constitutivos dessas realidades, reforçando a questão da pobreza em suas múltiplas dimensões. Para tratar dessas questões utilizaremos como recorte empírico a realidade socioespacial das cidades de Pracinha, Flora Rica, São João do Pau D‘Alho e Mariápolis, pequenas cidades localizadas na região da Nova Alta Paulista, extremo Oeste do Estado de São Paulo.

1A discussão sobre cidades locais híbridas foi desenvolvida na tese de doutorado.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33081/formacao.v1i20.2074

Revista Formação (Online). ISSN: 1517-543X. E-ISSN: 2178-7298

 

 

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

                         

Imagem relacionada

Apoio