AS TEORIAS DE CURRÍCULO NA IMPLEMENTAÇÃO DAS BRINQUEDOTECAS NA PRIMEIRÍSSIMA INFÂNCIA: CONTRIBUIÇÕES DA NEUROPSICOLOGIA

Maria do Carmo Monteiro Kobayashi, Márcia Lopes Reis, Francesca Morganti

Resumo


Há algum tempo são conhecidas as relações que permeiam a brincadeira e aprendizagem, sobretudo quando sistematizadas nos espaços das brinquedotecas e na organização dos  currículos escolares que incentivam e fomentam o desenvolvimento físico, cognitivo, criativo, social e a linguagem da criança.  Mais recentemente, os estudos da neurociência tem permitido evidenciar, por meio do uso das imagens por ressonância magnética, como ocorrem os processos de aprendizagem e a sua relação com as oportunidades oferecidas às crianças, assim sugerem o papel dos objetos e das relações das crianças com outras pessoas e com o ambiente onde vivem, sendo fulcrais para seu pleno desenvolvimento e crescimento. Neste texto, são analisadas as relações entre as teorias do currículo, os objetos lúdicos e contribuições da neurociência. Tais interações possibilitam cada vez mais, a reorganização do sistema neural em desenvolvimento que, no caso da primeiríssima infância, parece ser otimizável com a quantidade de construções de aprendizagem desses sujeitos nas brinquedotecas. Ao final, parece ser possível inferir que esses espaços didáticos de aprendizagem devem ocupar um lugar privilegiado nas práticas escolares e curriculares da primeira infância. 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v27i3.4969


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com