O ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE SÉRIES E AS CRIANÇAS DE SEIS ANOS

Maria Malta Campos

Resumo


O artigo discute as medidas de política educacional que anteciparam a idade de ingresso na primeira série do ensino fundamental para seis anos e ampliaram a duração dessa etapa obrigatória da educação básica de oito para nove séries. Inicialmente, essas mudanças são examinadas numa perspectiva comparada, a partir de dados sobre 41 países da América Latina e Caribe, divulgados em documento da OREALC/UNESCO (2007). A maioria desses países adota idades abaixo dos sete anos para o início da educação primária e muitos definem a duração da escolaridade obrigatória em nove anos ou mais. Em seguida, o artigo analisa a posição da educação infantil no conjunto das etapas da educação básica, no Brasil, com base em dados de matrículas do Censo Escolar de 2005, discutindo a importância relativa da educação infantil e o problema das distorções idade/série até o primeiro segmento do ensino fundamental. Finalmente, o artigo aponta os principais desafios que essas mudanças colocam para as redes escolares, quanto à organização das escolas, formação dos professores e currículos.


Palavras-chave


educação básica; educação infantil; pré-escola; idade de ingresso na primeira série; ensino fundamental de nove anos.

Texto completo:

ARTIGO


DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v14i15.155


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com