POR CAMINHOS E ANDANÇAS INDÍGENAS (A GEOBRICOLAGEM COMO TRILHA)/Through indigenous paths and wanderings (geo-bricolage as a trail) / A través de caminos y andanzas indígenas (geobricolagem como sendero)

Autores

  • Jones Dari Goettert Núcleo de Estudos, Pesquisas e Projetos de Reforma Agrária - NERA - Faculdade de Ciências e Tecnologia FCT/UNESP
  • Juliana Grasiéli Bueno Mota

DOI:

https://doi.org/10.47946/rnera.v23i54.7922

Palavras-chave:

Geografias indígenas, caminhos e andanças, geobricolagem.

Resumo

Caminhos e andanças – e seu percorrer – são possibilidades no acompanhamento de nosso fazer geografias indígenas. A proposta é combinada com a discussão de “geobricolagem”, a “forma de mundianizar” indígena (feita através do “pensamento-por-exemplo”), que se distingue da “geoengenharia” (“pensamento-por-modelo”, ocidental-capitalista). A perspectiva de caminhos e andanças, na geografia, pode se realizar pelo envolvimento profundo junto às gentes e terras indígenas, como potência para fazer brotar ondes inusitados na relação humanas/os e não humanas/os e tendo a geobricolagem (o exemplo) como um ato também político e popular.

 

Como citar este artigo:

GOETTERT, J. D.; MOTA, J. G. B. Por caminhos e andanças indígenas (a geobricolagem como trilha). Revista NERA, v. 23, n. 54, p. 303-329 , dossiê., 2020.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-07-07

Como Citar

Goettert, J. D., & Mota, J. G. B. (2020). POR CAMINHOS E ANDANÇAS INDÍGENAS (A GEOBRICOLAGEM COMO TRILHA)/Through indigenous paths and wanderings (geo-bricolage as a trail) / A través de caminos y andanzas indígenas (geobricolagem como sendero). REVISTA NERA, 23(54), 303–329. https://doi.org/10.47946/rnera.v23i54.7922