ATIVIDADES NÃO AGRÍCOLAS NO ASSENTAMENTO RURAL HORTO AIMORES: ATUAÇÃO DA ASSOCIACAO AGROECOLOGICA VIVERDE

Camila Al Zaher

Resumo


No meio rural o recurso natural solo vem sendo intensamente depauperado devido às práticas inadequadas de exploração agrícola, as quais podem resultar na degradação química e física dos solos e, sobretudo, na fragmentação social e econômica da agricultura camponesa, propiciando o surgimento de atividades não agrícolas como forma de renda acessória da família. Nesse contexto, encontra-se o assentamento rural Horto Aimorés, localizado entre os municípios de Bauru e Pederneiras, centro-oeste do estado de São Paulo. O presente trabalho procurou averiguar a existência dessas atividades não agrícolas na Gleba I do referido assentamento, como se estruturam, as principais atividades exercidas como fontes de renda e implicações para reprodução dessas famílias. Devido à importância da Associação Agroecológica VIVERDE para a organização da Gleba I, procurou-se verificar sua atuação entre os assentados e de que forma auxiliam na permanência deles no assentamento através da geração de renda. O diagnóstico realizado se deu por meio de questionário socioambiental composto por perguntas abertas e fechadas aplicados às 145 famílias residentes na Gleba I, sistematizados na forma de gráficos e tabelas; e entrevista junto ao líder da associação Agroecológica VIVERDE. Constatou-se que parcela significativa dos rendimentos das famílias da Gleba I provém do trabalho assalariado e das atividades não agrícolas e que a associação agroecológica VIVERDE, contribui significativamente para consolidação de atividades não agrícolas na Gleba I.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33081/formacao.v2i22.3609

Revista Formação (Online). ISSN: 1517-543X. E-ISSN: 2178-7298

 

 

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

                         

Imagem relacionada

Apoio