O CORPO VIVO DA LEITURA: SENTIDOS E EXPERIÊNCIAS DO PENSAR EM NIETZSCHE E PROUST.

Gilcilene Dias da Costa, Jessé Pinto Campos

Resumo


Resumo: A problemática da leitura tem se expressado com intensa preocupação na comunidade escolar e acadêmica em geral, sem, contudo, que tal anseio pela “apropriação” de uma cultura letrada venha acompanhado de um pensar sobre sua dimensão formativa. No intuito de contribuir com uma abordagem problematizadora e fruidora da leitura enquanto uma experiência formativa tecida nos interstícios entre texto e leitor, eu e outro, silêncio e palavra rumo ao desconhecido do pensar e seus abismos, o presente texto visa estreitar as relações entre Leitura e Filosofia para confabular sentidos outros de leitura espreitando as experiências de infância de Marcel Proust em seu ensaio “Sobre a leitura”, articulada à perspectiva fisiológica da leitura em Friedrich Nietzsche. Desse modo, posiciona-se como abertura e convite a adentrar os labirintos da leitura e suas interfaces com o pensar, valorando a atividade da leitura desde a tenra infância como canal de acesso ao desconhecido.

 


Palavras-chave


Leitura; Sentidos; Experiências; Nietzsche; Proust.

Texto completo:

ARTIGO


DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v27i2.4337


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com