PRINCÍPIOS ÉTICOS EM VIGOTSKI: PERSPECTIVAS PARA A PSICOLOGIA E A EDUCAÇÃO

Achilles Delari Junior

Resumo


Este texto explora criticamente princípios éticos pertinentes à psicologia de Vigotski, nem sempre explicitados por outros estudiosos, procurando esboçar suas consequências para a prática social do psicólogo e do educador, de modo reflexivo e não normativo. Na primeira seção, explicita-se que o valor fundamental para a perspectiva histórico-cultural é a própria humanidade. Contudo, não se trata de um humanismo ingênuo, nem liberal, mas crítico de raiz marxista. No interior deste “humanismo crítico”, detalham-se os conceitos de “superação”, “colaboração” e “emancipação”, como busca de salto para o “reino da liberdade”. Na segunda seção, são abordadas contradições enfrentadas por trabalhadores da psicologia e da educação que tentem pautar suas práticas em tais valores morais. Alia-se a necessidade de ver a realidade de modo crítico com a de entendê-la em sua historicidade, portanto, no caráter dinâmico e conflitivo das lutas que constituem a sociedade e nossos papéis dentro dela. Na terceira seção, coloca-se o “método construtivo” [konstruktivnii metod] como um elo entre os princípios antes discutidos e a prática social do psicólogo e do educador, na constituição da sua personalidade e a de seus interlocutores. Finalmente, como desafio e pedido de réplica, problematizam-se as possibilidades de superação da hipocrisia da ética burguesa, com base no princípio da organização coletiva classista radical.

http://dx.doi.org/10.14572/nuances.v24i1.2153


Palavras-chave


Vigotski; ética; psicologia; educação; marxismo

Texto completo:

ARTIGO


DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v24i1.2153


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.
Menor Médio Maior
Português (Brasil) English Español (Espanha)

Retornar ao portal de revistas