ATIVIDADES DE EXTENSÃO NA UNIVERSIDADE PÚBLICA COMO MEIO E FIM NA PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM EDUCAÇÃO

Neusa Maria Marques de Souza

Resumo


Neste artigo a autora discute a relação pesquisa-extensão, questiona o modelo que estabelece como papel da universidade pública o tripé ensino-pesquisa-extensão e defende a necessidade da quebra deste modelo no sentido de equalizar suas vertentes e resgatar a unicidade de seus elementos. Analisa as mudanças ocorridas com o advento da pesquisa qualitativa e a adequação deste papel às identidades assumidas pelos novos paradigmas de pesquisa em Educação. Aponta a relação de mutualidade intrínseca aos três campos; ensino, pesquisa e extensão, que se unificam e se desenvolvem a partir da apropriação da atividade de extensão pelos contextos do ensino e da pesquisa qualitativa enquanto paradigma apropriado à pesquisa social. Na reflexão sobre o contexto da prática apresenta uma experiência que nasce em ações colaborativas entre Universidade e Escola Fundamental, que busca na realidade vivenciada e vivida questionamentos para repensar o corpo teórico constituído, sua aplicabilidade e readequação enquanto meio de transformação da prática em questão. Aponta o papel e o lugar da extensão como um vasto campo de pesquisa que não prescinde da cientificidade e confiabilidade concedida até então à pesquisa acadêmica e que se consubstancia na confluência das ações de ensino, pesquisa e extensão, além de sua importância para a comunidade.


Palavras-chave


ações colaborativas; extensão; pesquisa qualitativa.

Texto completo:

ARTIGO


DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v15i16.179


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com