TRABALHO FEMININO E PRODUÇÃO DO ESPAÇO: UMA LEITURA A PARTIR DA REALIDADE BRASILEIRA ATUAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33026/peg.v25i1.10310

Resumo

O presente artigo analisa a relação entre o trabalho feminino e a produção do espaço a partir da realidade brasileira atual. O objetivo é demonstrar como o trabalho feminino se insere na estrutura desigual e hierárquica do metabolismo social do capital (Mészáros, 2011), este que em última instância determina as formas gerais de produção e reprodução do espaço, como nos termos de Lefebvre (2006). As referências de Safiotti (1973) e Schols (1992) contribuem para a análise dos dados oficiais mais recentes (IBGE, 2022; IPEA, 2022) e demais publicações científicas/acadêmicas que ilustram a condição subsumida do trabalho feminino e da mulher no Brasil. Tal procedimento metodológico que relaciona realidade prática e reflexão teórica, permite considerar o espaço como a manifestação objetiva da estrutura desigual do trabalho que insere as mulheres em seu processo produtivo de forma subordinada, via normatização e normalização da natureza patriarcal da reprodução social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sócrates Menezes, UESB

Professor da UESB

Jéssica Silva

Professora mestre em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da UESB  

Downloads

Publicado

2024-03-20

Como Citar

Oliveira Menezes, S., & de Oliveira Silva, J. (2024). TRABALHO FEMININO E PRODUÇÃO DO ESPAÇO: UMA LEITURA A PARTIR DA REALIDADE BRASILEIRA ATUAL. PEGADA - A Revista Da Geografia Do Trabalho, 25(1). https://doi.org/10.33026/peg.v25i1.10310