REFLEXÕES SOBRE A ETNICIDADE DA LUTA PELA TERRA NO MÉXICO ENTRE O CAPITALISMO E O COLONIALISMO

Otavio Gomes Rocha

Resumo


A configuração da territorialidade rural mexicana possui algumas diferenças sobressalientes em relação aos demais países do continente. Por exemplo, a existência da propriedade social coletiva na forma de ejidos e comunidades agrarias, e o processo histórico das lutas sociais atravessado pelo capitalismo/colonialismo, evidenciam o caráter indissociável da trajetória dos povos indígenas e a questão agrária do país. Nesse sentido, revelam-se elementos relacionados à etnicidade da luta pela terra que contribuem à compreensão da expressão “camponês-indígena” como sujeito social, histórico e político. A partir de um processo de investigação em curso no Posgrado en Desarrollo Rural (UAM-X), esboçamos uma análise sobre a experiência histórica e o contexto atual do campo mexicano, buscando, desde o olhar geográfico estrangeiro, identificar e refletir sobre elementos que possam contribuir com a Geografia brasileira e, assim, tencionar os saberes instituídos.


Texto completo:

PDF


A Pegada está indexada em:

LATINDEX - http://www.latindex.unam.mx/

Sumarios.org - http://sumarios.org/

Scientific Indexing Services (SIS) - http://sindexs.org/

GEODADOS - http://geodados.pg.utfpr.edu.br/

Capes Periódicos - http://www.periodicos.capes.gov.br/

Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico (REDIB) - https://www.redib.org/

Directory of Open Acess Journals (DOAJ) - http://doaj.org/

EBSCO - https://www.ebsco.com/

ISSN: 1676-3025