TRABALHO ANÁLOGO À ESCRAVIDÃO NA CAFEICULTURA DO PLANALTO DA CONQUISTA, BAHIA

Aurelane Alves Santana, Marco Antonio Mitidiero Junior

Resumo


O Planalto da Conquista, na Bahia, ao ser integrado à zona cafeeira brasileira na década de 1970, passou por profundas transformações que afetaram desde a organização da produção rural às relações de trabalho dos sujeitos que reproduziam as suas vidas no campo. Ao longo dos anos, esse cenário mostrou-se cada vez mais contraditório na medida em que formas contemporâneas de desregulamentação e flexibilização do trabalho começaram a ser impostas pela acumulação capitalista no final do século XX. Em momento predominante de reestruturação produtiva do capital, consta neste texto a leitura do panorama atual do trabalho na cafeicultura do Planalto da Conquista, trazendo em voga, principalmente, a reprodução das situações de trabalho análogas à escravidão, resultante do aumento da exploração e precarização laboral verificada nas fazendas da região nos últimos anos.

Palavras-Chave: Cafeicultura. Trabalho análogo à escravidão. Precarização do trabalho.


Texto completo:

PDF


A Pegada está indexada em:

LATINDEX - http://www.latindex.unam.mx/

Sumarios.org - http://sumarios.org/

Scientific Indexing Services (SIS) - http://sindexs.org/

GEODADOS - http://geodados.pg.utfpr.edu.br/

Capes Periódicos - http://www.periodicos.capes.gov.br/

Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico (REDIB) - https://www.redib.org/

Directory of Open Acess Journals (DOAJ) - http://doaj.org/

ISSN: 1676-3025