EXPANSÃO CAPITALISTA NO VALE DO JEQUITINHONHA: PAUTAS PARA A DISCUSSÃO DO PROBLEMA DA ACUMULAÇÃO PRIMITIVA

Ana Carolina Gonçalves Leite

Resumo


Nesse trabalho, examinamos algumas modalidades de apropriação de terras camponesas presentes em processos de expansão capitalista atuais e ocorridos também noutros momentos da modernização nacional no Vale do Jequitinhonha (Minas Gerais, Brasil), além de discutirmos algumas interpretações sobre os mesmos, formuladas todas com recurso ao conceito marxiano de acumulação primitiva. Problematizamos investigações dedicadas a expropriações promovidas por diferentes empresas, mas especialmente reflorestadoras, durante as décadas de 1960, 1970 e 1980, para apresentarmos, buscando discutir o sentido das mesmas, uma reflexão cujo intuito é o de situarmos o papel da acumulação primitiva na modernização brasileira. Aventamos ainda pautas para a discussão não só daqueles processos pregressos, mas das expropriações atuais e seu sentido.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33026/peg.v16i2.3806

A Pegada está indexada em:

LATINDEX - http://www.latindex.unam.mx/

Sumarios.org - http://sumarios.org/

Scientific Indexing Services (SIS) - http://sindexs.org/

GEODADOS - http://geodados.pg.utfpr.edu.br/

Capes Periódicos - http://www.periodicos.capes.gov.br/

Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico (REDIB) - https://www.redib.org/

Directory of Open Acess Journals (DOAJ) - http://doaj.org/

EBSCO - https://www.ebsco.com/

ISSN: 1676-3025