A ORGANIZACÃO DO TRABALHO EM SAÚDE EM UM CONTEXTO DE PRECARIZAÇÃO E DO AVANÇO DA IDEOLOGIA GERENCIALISTA

Luiz Gonzaga Chiavegato, Vera Lucia Navarro

Resumo


 

O texto aborda a questão das mudanças ocorridas no trabalho diante da crise estrutural do capital, a partir dos anos 1960 e 1970, evidenciando o avanço da ideologia gerencialista fundada na racionalidade instrumental taylorista e seus impactos nas condições e na organização do trabalho, bem como na saúde dos trabalhadores e nos processos de gestão. Em seguida, procura-se mostrar como essa temática afeta, particularmente, a gestão e o processo de trabalho em saúde, acarretando novas formas de pressões pessoais e sociais aos profissionais de saúde, que resultam em sobrecarga de trabalho, diminuição do grau de autonomia e ausência de reconhecimento e apoio social oferecido pelos colegas, chefias e usuários dos serviços. Tais condições representam uma precarização do trabalho em saúde e vêm sendo consideradas, inclusive, como um importante obstáculo para o desenvolvimento dos serviços da rede pública de saúde no Brasil.

 

 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33026/peg.v13i2.2023

A Pegada está indexada em:

LATINDEX - http://www.latindex.unam.mx/

Sumarios.org - http://sumarios.org/

Scientific Indexing Services (SIS) - http://sindexs.org/

GEODADOS - http://geodados.pg.utfpr.edu.br/

Capes Periódicos - http://www.periodicos.capes.gov.br/

Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico (REDIB) - https://www.redib.org/

Directory of Open Acess Journals (DOAJ) - http://doaj.org/

EBSCO - https://www.ebsco.com/

ISSN: 1676-3025