INFLUÊNCIA DO CLIMA NA OC ORRÊNCIA DE TRIATOMÍNEOS SINANTRÓPICOS NO MUNICÍ PIO DE UBERLÂNDIA-MG

Paulo Cezar Mendes, Samuel do Carmo Lima

Resumo


A doença de Chagas ou tripanosomíase americana é uma infecção de natureza endêmica, que tem como agente etiológico o protozoário flagelado Trypanosoma cruzi. Classificada como uma zoonose, ela atinge atualmente cerca de 5 milhões brasileiros, na sua maioria, contaminados pelos hemípteros reduvídeos hematófagos do gênero  Triatoma, vetor da doença. Apesar das inúmeras campanhas para o seu controle, os triatomíneos ainda são encontrados em muitos domicílios e peri-domicílios das habitações humanas, localizadas no espaço rural, gerando risco de novas contaminações. Neste sentido, este artigo buscou analisar a influência da variação sazonal do clima na ocorrência de triatomíneos sinantrópicos nesses ambientes, para tanto, foram realizados levantamentos de dados de notificações de triatomíneos no município de Uberlândia-MG na fase de vigilância do Programas de Controle da doença de Chagas (PCDCh) de captura e pesquisa, no período de 2004 a 2007, relacionado à sazonalidade climática local. No período analisado fora m capturados triatomíneos das espécies P. megistus, P. diasi,  R. neglectus, R. prolixus  e o T. sórdida.  A análise dos dados possibilitou verificar que 62% das capturas ocorreram na estação chuvosa, enquanto que na estação seca foram apenas 38%. Os meses de julho, agosto e setembro foram os que registraram os menores índices de captura. Em contrapartida, as taxas mais elevadas coincidiram com o início e o término do período chuvoso. Das espécies capturadas, o  P. megistus,  R. neglectus e o T. sordida tiveram grande parte de suas capturas relacionadas a estação chuvosa (outubro a março), enquanto o P. diasi  apresentou maior número de capturas na estação seca e início da estação chuvosa. Os resultados obtidos em Uberlândia, comparados com pesquisas realizadas em outros ambientes tropicais, indicaram um comportamento similar para essas espécies, onde o clima, dentre os fatores abióticos, é o responsável pelo sincronismo na dispersão das populações de triatomíneos para a formação de novas colônias na época das chuvas e predomínio do acasalamento e poedura mais concentrados durante os meses de estiagem.

Palavras-chave


Clima; triatomíneos; Geografia da Saúde

Texto completo:

PDF


Caderno Prudentino de Geografia - ISSN: 2176-5774

 

Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Local Presidente Prudente/SP

Rua Roberto Simonsen, 305, Centro Educacional, CEP: 19.060-900, Presidente Prudente, São Paulo.