O desígnio brutalista em Presidente Prudente: Paço Municipal, Escola João Franco de Godoy e terminal rodoviário

Hélio Hirao

Resumo


Este artigo analisa três edificações modernistas públicas em Presidente Prudente-SP, cidade média do interior oeste paulista, na perspectiva das relações entre o desígnio modernista paulista do projeto arquitetônico e a obra construída usada e apropriada, mediada pelas relações socioespaciais do edifício com a cidade.

Texto completo:

PDF