ABSENTEÍSMO DE FUNCIONÁRIOS EM UM HOSPITAL PÚBLICO EM PRESIDENTE PRUDENTE – SP

Tânia Maria ARAÚJO, Iracimara de ANCHIETA MESSIAS, Ricardo Luís BARBOSA

Resumo


 O objetivo deste trabalho foi identificar o absenteísmo de funcionários em um hospital público com atendimento materno-infantil na cidade de Presidente Prudente - SP. Os dados foram obtidos através dos prontuários dos funcionários, da guia de perícia médica e do livro registro de licença-saúde, com os diagnósticos médicos codificados usando a CID – 9 e 10. Foram realizadas as estatísticas descritivas e duas regressões logísticas binárias, com nível de significância de 5%. A média de afastamento por licença foi de 19,85 dias, e dos atestados, 2,37 dias. Os funcionários com nível superior têm menos afastamentos do que os com nível primário e secundário. Uma mulher tem razão de chance 2,09 vezes maior de ter uma licença do que um homem, e uma razão de chance 4,92 vezes maior de ter um atestado do que um homem. As mulheres têm uma chance maior de se afastarem de suas funções do que os homens, sendo gravidez, parto e puerpério as principais causas de afastamento, condições inerentes ao sexo feminino, seguidas por lesões, envenenamento, causas e consequências externas e doenças osteomusculares.

Palavras-chave: Absenteísmo, hospital público, trabalhador da saúde.

 

 

EMPLOYEES ABSENTEEISM IN A PUBLIC HOSPITAL IN PRESIDENTE PRUDENTE - SP

 

Abstract

 To identify the absenteeism of the workers in a public hospital with maternal-child health services in the city of Presidente Prudente, São Paulo, Brazil, was carried out this studies were performed based on the medical records of the workers, the respective analysis from the guides of medical investigations and the register books of health license. The selected medical diagnostic had codes CID-9-10. Statistical analyses was performed through descriptive as well logistic regression with a significance level of 5%. The mean of absence days in sick leave was 19.85 days and the health certificate was 2.37 days. A woman had odds ratio of 2.09 times greater to have a sick leave than a man and odds ratio of 4.92 times bigger to have a health certificate than a man. The women have bigger odds ratio of absenteeism from their functions than the men. The main causes of absenteeism being pregnancy, parturition and postpartum period, which are inherent for them, followed of the injuries, poisoning and environmental exposure and osteo-muscle sickness.

Keywords: Absenteeism, public hospital, workers of heal.


Texto completo:

PDF