Caminhos da produção financeirizada do espaço urbano: a versão brasileira como contraponto a um modelo

César Ricardo Simoni Santos, Daniel Sanfelici

Resumo


O debate a respeito dos processos de financeirização da produção imobiliária brasileira é obscurecido pelo procedimento que adota como metro o modelo norte-americano que resultou nos conhecidos subprimes. A financeirização do mercado imobiliário brasileiro se deu não pela via hipotecária de estímulos à demanda, mas pela vinculação das incorporadoras com o mercado de capitais, sugerindo, por este caminho, importantes estímulos à oferta. O resultado tem sido, diferentemente do que pode ser assistido a partir da estratégia adotada nos Estados Unidos, a criação de uma tendência à participação do fundo público como critério para a estabilização da relação entre as incorporadoras e o mercado de capitais, encobrindo com a ampliação do maior programa habitacional do país a lacuna aberta entre a necessidade de produção e o tamanho da demanda solvável existente.

Palavras-chave


Financeirização; Mercado imobiliário; Minha Casa Minha Vida; Produção do espaço urbano

Texto completo:

PDF


CIDADES - Revista Científica