Espaços públicos e o direito à cidade: contribuições teórico-conceituais a partir de estudos sobre o uso de parques urbanos em contextos de segregação espacial nas cidades de São Paulo e Sorocaba.

Rosalina Burgos

Resumo


O uso dos espaços públicos, no contexto do processo de industrialização-urbanização, historicamente se insere no centro do debate acerca das possibilidades, potencialidades e desafios das práticas socioespaciais que apontam para os sentidos do direito à cidade. Por um lado, estes espaços dão visibilidade à sociabilidade que revela quão complexa é a vida cotidiana nos centros urbanos, ao mesmo tempo em que desvela os limites e desafios das políticas públicas que melhor correspondam aos anseios da população, sobretudo para os segmentos populares inseridos no urbano periférico, em contextos de segregação espacial.

A partir da análise de práticas sociais instauradas em parques urbanos, no contexto de estudos realizados na metrópole de São Paulo e na cidade de Sorocaba, foram tecidas considerações sobre os sentidos do direito à cidade.


Palavras-chave


espaço público, segregação espacial, direito à cidade, política pública, parque urbano

Texto completo:

PDF


CIDADES - Revista Científica