DE ESCRAVAS A VAGABUNDAS: AS TRABALHADORAS DOMÉSTICAS E O NÃO-TRABALHO NA TRANSIÇÃO DO SÉCULO XIX PARA O SÉCULO XX

Bibiana Conceição Rezende

Resumo


Durante três séculos o Brasil viveu sob o regime escravocrata, tendo como principal forma de trabalho o trabalho escravo. Com o fim da escravidão, no final do século XIX, os então libertos encontraram no trabalho doméstico uma das únicas formas de trabalho remunerado disponíveis, sendo o destino da maioria desses. As décadas que se seguiram a abolição trouxeram mais opções de trabalho remunerado para os homens, porém às mulheres continuava restando apenas o trabalho doméstico. Dessa forma o trabalho doméstico representa para as mulheres pobres do final do século XIX e início do século XX a tríade opressão raça-classe-gênero.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33026/peg.v20i1.6306

A Pegada está indexada em:

LATINDEX - http://www.latindex.unam.mx/

Sumarios.org - http://sumarios.org/

Scientific Indexing Services (SIS) - http://sindexs.org/

GEODADOS - http://geodados.pg.utfpr.edu.br/

Capes Periódicos - http://www.periodicos.capes.gov.br/

Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico (REDIB) - https://www.redib.org/

Directory of Open Acess Journals (DOAJ) - http://doaj.org/

EBSCO - https://www.ebsco.com/

ISSN: 1676-3025