TRABALHADORES NAVAIS: UM SABER-FAZER ARTESANAL EM ESTALEIROS TRADICIONAIS À BEIRA-RIO DE MANAUS

JEFFERSON GIL DA ROCHA SILVA, Elenise Faria SCHERER

Resumo


Neste artigo, evidenciamos o saber-fazer dos trabalhadores navais, especialmente os carpinteiros e os calafates na produção ou recuperação dos barcos de madeira de forma artesanal nos estaleiros tradicionais localizados à beira-rio do bairro do São Raimundo, na zona Oeste da cidade de Manaus. Salientamos as condições de trabalho precárias e seu esvaimento em decorrência da modernização dos antigos estaleiros e surgimentos dos novos que utilizam outras matérias-primas e novas tecnologias e, ainda, devido a proibição do uso da madeira pelas instituições ambientais e do pouco interesse dos mais jovens em dar continuidade a esta prática cultural presente nas formas de trabalho desde a colonização. Apoiamo-nos em uma bibliografia, em pesquisa de campo desenvolvida nos anos de 2014 a 2016, por meio de entrevistas com esses trabalhadores que resistem a reprodução da arte da construção naval, essencial para o mundo do trabalho nos estaleiros tradicionais que, hoje, ainda compõem a paisagem das cenas e cenários à beira-rio da Amazônia.

Palavras-Chave: trabalhadores navais, estaleiros tradicionais, precarização, paisagem urbana-fluvial.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33026/peg.v19i3.5942

A Pegada está indexada em:

LATINDEX - http://www.latindex.unam.mx/

Sumarios.org - http://sumarios.org/

Scientific Indexing Services (SIS) - http://sindexs.org/

GEODADOS - http://geodados.pg.utfpr.edu.br/

Capes Periódicos - http://www.periodicos.capes.gov.br/

Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico (REDIB) - https://www.redib.org/

Directory of Open Acess Journals (DOAJ) - http://doaj.org/

EBSCO - https://www.ebsco.com/

ISSN: 1676-3025