INSEGURANÇA HUMANA/ECONÔMICA NA ZONA DE FRONTEIRA BRASIL/BOLÍVIA: O FECHAMENTO DA FEIRA BRASBOL E IMPEDIMENTO AO TRABALHO DECENTE EM CORUMBÁ/MS

Roberto Mauro da Silva Fernandes

Resumo


: Este artigo tem como objetivo demonstrar como alguns sujeitos públicos, a partir de seus interesses de classe, acometeram contra a segurança humana de alguns segmentos de cidadãos bolivianos na cidade de Corumbá/MS. Especificamente refletimos sobre a atuação de órgãos estatais brasileiros frente à Feira BRASBOL,no passado, um dos principais centros de atuação do pequeno comerciante boliviano na urbe em questão, bem como, de integrações entre brasileiros e bolivianos. A feira BRASBOL foi interditada pelo poder público, representando, desta maneira, um exemplo de como alguns bolivianos ficaram expostos a um ambiente de inseguridade econômica internacional e tiveram o direito ao trabalho decente obstruído em decorrência de interesses de classe. Bem como, este evento demonstrou que tanto a cena política e o pessoal do Estado estão distante no sentido de promover planejamento e gestão adequada para aquela fronteira que necessita urgentemente de uma agência capacitada para atender suas demandas. Para tal utilizamos levantamento bibliográfico e realizamos trabalho de campo, entre os anos de 2011 e 2017, na mencionada Zona Fronteiriça.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33026/peg.v19i3.5912

A Pegada está indexada em:

LATINDEX - http://www.latindex.unam.mx/

Sumarios.org - http://sumarios.org/

Scientific Indexing Services (SIS) - http://sindexs.org/

GEODADOS - http://geodados.pg.utfpr.edu.br/

Capes Periódicos - http://www.periodicos.capes.gov.br/

Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico (REDIB) - https://www.redib.org/

Directory of Open Acess Journals (DOAJ) - http://doaj.org/

EBSCO - https://www.ebsco.com/

ISSN: 1676-3025