A FARSA DA LIBERDADE ESPACIAL DO TRABALHO NO AGROHIDRONEGÓCIO CANAVIEIRO DO EDR DE ARAÇATUBA-SP

Messias Alessandro Cardoso

Resumo


Neste trabalho, nossos esforços convergiram, para a tentativa de desenvolver algumas reflexões críticas, acerca da mobilidade territorial do trabalho, a que os trabalhadores migrantes maranhenses e alagoanos são submetidos no agrohidronegócio canavieiro do EDR de Araçatuba (SP). Nesse sentido, o sistema do capital utiliza como trunfo territorial, o processo de mobilidade territorial do trabalho, tendo em vista fazer uso da força de trabalho nos territórios mais rentáveis ao capital. É este uso possibilitado pela mobilidade do trabalho, que está na origem da produção de mais-valia e, portanto, da acumulação de capital.

Palavras-chave: mobilidade territorial do trabalho, trabalho, liberdade espacial.


 


Texto completo:

PDF


A Pegada está indexada em:

LATINDEX - http://www.latindex.unam.mx/

Sumarios.org - http://sumarios.org/

Scientific Indexing Services (SIS) - http://sindexs.org/

GEODADOS - http://geodados.pg.utfpr.edu.br/

Capes Periódicos - http://www.periodicos.capes.gov.br/

Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico (REDIB) - https://www.redib.org/

Directory of Open Acess Journals (DOAJ) - http://doaj.org/

ISSN: 1676-3025